Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 22 - domingo, 24 de outubro de 2021

Mural

Jornalismo exercido pela própria população

Deixe sua notícia neste Mural, clique aqui para enviar

Mensagem N°85916
De: José Ponciano Neto Data: Domingo 24/10/2021 14:26:19
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

LÚCIO MARCOS BEMQUERER: UMA GRANDE PERDA

É uma incógnita o que determina a influência de uma pessoa? O dinheiro não é tudo! Não obstante muitos têm como argumento que a riqueza é essencial. Mas não! O que determinam a influência são: o comprometimento, inteligência, vigor, honestidade e a vontade de servir uma determinada classe.

Fiquei sabendo hoje cedo por meio de uma mensagem do jornalista Paulo Narciso o passamento de uma das pessoas mais influentes do Brasil: o economista – Diretor executivo – sociólogo - Jornalista e cofundador e membro de vários Conselhos executivos, incluindo da ACMinas e FEDERAMinas. Estou falando do grãomogolense Dr. Lúcio Marcos Bemquerer - um “ícone” dentro classe empresarial.

Era um líder no mundo dos negócios, uma pessoa conhecedora das novas tecnologias e “startup”.

Certo dia estive com ele em sua casa na cidade Grão Mogol-MG, entre uma conversa e outra, discorremos sobre nossas famílias e o mundo comercial - ele falou comigo como é a natureza mutável dos negócios diante da mudança Social.

Perante da sua satisfação em me explicar acerca das novas tecnologias – ouvir atentamente - mesmo sem entender desse “business Center”. Mas deu para ter uma noção.

Depois da nossa prosa, fomos acompanhados pelo seu primo, o Sr. Geraldo Fróis (Gê Fróis) para conhecer a obra do Presépio abençoado pela natureza que ele estava construindo com as Mãos de Deus. Recebi uma aula de religião e da engenharia ecológica – como adaptar o presépio obedecendo as posições das rochas.

Retornamos para sua residência, onde encontramos com o escritor Alberto Sena – tomamos um vinho da sua adega com estrutura natural – onde os vinhos ficam condicionados em uma imensa pedra com vários furos dentro da sua sala. Foi um dia satisfatório!

Voltei outras vezes, uma das visitas ele me deu uma cópia da Carta Papal – documento enviado pelo Vaticano abençoando o PRESÉPIO MÃOS DE DEUS.

Falar mais sobre do Dr. Lúcio Bemquerer é chover no molhado. - Sua vida fala por se só!!

Agradeço pelo o respeito e a amizade que tínhamos, e principalmente quando o Dr. Lúcio elogiava a minha família. - Essa atitude era recíproca.

XXIV-X-MMXXI
(*) José Ponciano Neto é Colunista do Site montesclaros.com - Escritor/ Historiador membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros – IHGMC - Diretor Financeiro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas – AMALENM

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85915
De: Paulo Narciso Data: Domingo 24/10/2021 06:46:11
Cidade: M. Claros

Foi sepultado em Montes Claros, por volta das 15h deste sábado, o corpo do líder empresarial mineiro Lúcio Benquerer.

Lúcio, nascido em Grão Mogol, extremamente ligado a Montes Claros, economista e líder empresarial em BH (foi presidente da Associação Comercial de Minas), Lúcio será sempre lembrado como importante nome do estado nos últimos 50 anos, até se recolher à sua cidade natal, onde ainda notabilizou-se pela construção do presépio natural Mãos de Deus.

Os últimos quase 2 anos, passou-os internado na Santa Casa de Montes Claros, depois de diagnosticado com problemas de origem neurológica. Partiu aos 83 anos.

A par de ser destacado nome de Minas, a Lúcio Benquerer ainda será prestado o reconhecimento de ser - de ser sempre - o defensor eterno dos interesses do Norte de Minas, desde quando se tornou um dos primeiros nativos da região a formar-se em economia, em BH, pelos anos 60.

Por tempos, foi também o representante dos sócios minoritários da Petrobras.

Sua vida, exemplar, será lembrada pela extrema correção, pela gentileza no trato, e pelos objetivos superiores até os momentos finais e conclusivos.

De Lúcio ainda se poderá dizer que o nosso destino transitou por suas mãos, honradas e diligentes.

(Foi também um dos fundadores da primeira rádio FM de Montes Claros - a Rádio 98FM Montes Claros, já agora com 40 anos).



Ontem, na tocante cerimônia de despedida, no meio da tarde pós-tempestade, recordou-se frase de poeta persa, que nos adverte de que o tambor da morte nunca cessa.

Contudo, para Lúcio Marcos Benquerer, este tambor tocou diferente.

Ouviram, os que puderam ouvir, na tarde calma e leve, depois do vendaval.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85914
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 23/10/2021 14:53:00
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações dos números de mortes por Covid-19, entre 2 a 9/10 (7 dias) e 16 a 23/10 (7 dias), relativas aos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente dos percentuais.
6 países (30,0%) tiveram aumentos, variando de 4,3% a 84,6%.
14 países (70,0%) tiveram reduções, variando de 13,6% a 54,9%.

Classificação / País / Mortes 2 a 9/10 / Mortes 16 a 23/10 / Var. %
1º Polônia 175 323 +84,6
2º Ucrânia 1777 3230 +81,8
3º Filipinas 739 1096 +43,8
4º Rússia 6330 8035 +26,9
5º Alemanha 403 476 +18,1
6º Reino Unido 908 947 +4,3
7º Índia 1802 1728 -4,1
8º Estados Unidos 12536 11618 -7,3
9º Colômbia 216 198 -8,3
10º Itália 301 260 -13,6
11º Turquia 1741 1475 -15,3
12º Brasil 3170 2470 -22,1
13º Argentina 219 159 -27,4
14º Irã 1707 1233 -27,8
15º França 227 163 -28,2
16º Malásia 809 542 -33,0
17º África do Sul 587 329 -43,9
18º México 3632 1945 -46,4
19º Espanha 315 158 -49,8
20º Indonésia 586 264 -54,9
Mundo 52.680 49.781 -5,5

Mundo: Casos confirmados 243.084.166; Mortes 4.940.121
Fonte: OMS/JHU, 23/10/21, 8h47m.

Manchetes:
g1/JH, 21/10/21: "Brasil tem média móvel de mortes por Covid abaixo de 400 pelo nono dia seguido".
"Boletim da Fiocruz aponta redução na transmissão da Covid, queda no número de mortes e de pacientes internados com casos graves".
"Mais de 107 milhões completaram o esquema de vacinação contra a Covid no Brasil".
"Índia já aplicou 1 bilhão de doses de vacinas contra a Covid".

Entre 4 dos 20 países do quadro acima, que tiveram mais de 2.000 mortes entre 16 e 23/10, o Brasil está no 4º lugar, em ordem decrescente, com a média diária de 353 mortes.
Países/Média diária entre 16 e 23/10: 1º Estados Unidos 1660; 2º Rússia 1148; 3º Ucrânia 461; 4º Brasil 353.
Os demais 16 países, que tiveram menos de 2.000 mortes nesta semana, têm média diária variando entre 22 (Espanha) e 278 (México).
Continuemos em alerta contra o coronavírus e suas variantes, praticando todos os cuidados recomendados pelos especialistas e profissionais da saúde, como amplamente divulgado, até o fim da pandemia, que ainda não ocorreu.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
23/10/21, 14h35m - amanhã: Santo Antônio Maria Claret

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85913
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 22/10/2021 10:56:46
Cidade: Montes Claros/MG

1.000 dias do rompimento da barragem de Brumadinho

Cada tragédia tem suas características próprias, bem como suas consequências em relação às vítimas fatais, feridos e as sequelas desses ferimentos, além dos prejuízos econômicos e sociais e danos e perdas de bens materiais, imóveis, à flora, à fauna e ao meio ambiente.
Independente do número de vítimas, estas e seus familiares, parentes, amigos e colegas de trabalho, por exemplo, merecem todo o respeito e solidariedade por parte dos seus semelhantes e dos poderes públicos.
Mas neste dia 21/10/2021, 1.000 dias após o rompimento da barragem de Brumadinho me levaram à comparação dos números das vítimas fatais daquele acidente com as da pandemia do coronavírus no Brasil e com algumas outras tragédias, resultando no seguinte quadro*, que mostra de modo indiscutível, numérico, o que todos os brasileiros já sabem, isto é, como a pandemia do coronavírus é a maior tragédia de infectados e vidas perdidas da nossa história recente.

*Comparação dos números de mortes por Covid-19 até hoje, no Brasil (604.303), com os de outras tragédias:
2.238 x rompimento da barragem de Brumadinho/MG, 270 mortos, em 25/01/2019.
2.650 x acidente com Airbus da Air France, 228 mortos, vôo Rio-Paris, em 01/06/2009.
3.231 x incêndio do Edifício Joelma, em São Paulo, 187 mortos, 300 feridos, em 01/02/1974.
2.497 x incêndio da boite Kiss, em Santa Maria/RS, 242 mortos, 680 feridos, em 27/01/2013.
10.987 x naufrágio do Bateau Mouche, Rio de Janeiro, 55 mortos, em 01/01/1989.
113 x acidentes de trânsito em BRs, 5.332 mortos, em 2019.

Mas, graças a Deus, aos cientistas, aos profissionais e especialistas da saúde, às vacinas contra o coronavírus, suas variantes e aos brasileiros que estão se vacinando, a gravidade da pandemia no Brasil e demais países tem obtido reduções muito significativas e persistentes, como os indicadores da doença têm mostrado.
Mas todo o cuidado é pouco, pois ainda não acabou totalmente o perigo.

21/10/21, 21h55m

Covid-19 no Mundo, desde o início da pandemia até hoje, 22/10/21, 8h39m:
Casos confirmados 242.597.420; Mortes 4.931.810; Fonte: OMS/JHU

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
22/10/21, 10h51m - São João Paulo II

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85912
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 23/10/2021 17:10:20
Cidade: Montes Claros/MG

Temporal muito intenso em Montes Claros

A mensagem 85901, de 17/10/21, "Vendaval derruba 8 estruturas de LTs no Triângulo Mineiro", citou ventos de até 90 km/h. Ontem, em Montes Claros, por volta das 16 horas, os ventos chegaram a 101 km/h e choveu 40 mm, em 30 minutos, incluindo granizo.
Lendo o "Balanço" do montesclaros.com, iniciado na madrugada de hoje, temos vários outros detalhes como "quedas de árvores, destelhamento de casas, quedas de estruturas, placas, outdoors, além de alagamentos de várias residências, arrastamento de veículos pequenos e pessoas ilhadas. Devido à ruptura de cabos da rede elétrica, diversos pontos da cidade ficaram sem energia e ruas precisaram ser interditadas."
O temporal, que nunca presenciei outro tão forte em nossa cidade, provocou, inclusive, a queda de uma torre de telefonia celular, com cerca de 40 metros de altura, no Bairro Acácias.
Vários portões e caixas d`água de casas foram derrubados pelo forte vento.
O Aeroporto de Montes Claros ficou sem energia elétrica, às escuras, em parte da tarde.
Os riscos de acidentes mais graves para os habitantes de Montes Claros foram maiores do que na ocorrência iniciada às 17h16m de 15/10/21, no Triângulo Mineiro, citada na mensagem 85901, pois além da velocidade do vento maior (101 x 90 km/h), as 8 estruturas das Linhas de Transmissão que caíram em 15/10/21 estavam instaladas em zona rural, enquanto na zona urbana de Montes Claros houve precipitação de volume de chuva muito alto (40 mm) em apenas 30 minutos, agravada pelo granizo em grande parte da cidade.
Mas, graças a Deus, pelo menos até aqui, não há notícias de feridos ou qualquer vítima em ambas as ocorrências.
Fica a sugestão: a exemplo das ocorrências de tremores de terra, que assustaram muito nossa cidade na última década, devemos seguir as orientações do CREA, Universidades, Prefeitura, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Cemig, Copasa, em caráter preventivo contra fenômenos naturais, que são reflexo das alterações e desequilíbrios climáticos e que possam ameaçar a segurança e a vida dos cidadãos, tanto em relação às obras civis, como redes elétricas, de água, esgoto, drenagem pluvial, telecomunicações ou qualquer outro tipo.
Gostaria de sugerir também, aos proprietários de instalações de placas fotovoltaicas que façam análise de custo x benefício para possível viabilidade de protegerem suas "usinas" com muros e telhado ou cobertura móvel/retrátil, pois tive notícia que uma instalação desse tipo, em Montes Claros, foi quase totalmente destruída pelo temporal de ontem, causando prejuízo de vulto ao seu proprietário.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista
16h58m, 23/10/21

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85911
De: Manoel Hygino Data: Sábado 23/10/2021 08:20:18
Cidade: Belo Horizonte

A falha humana

Manoel Hygino

Indelével - talvez seja o melhor adjetivo para classificar o pavoroso desastre de 25 de janeiro de 2019, quando Brumadinho foi sacudida pelo terrível mar de rejeitos da mina Córrego do Feijão. Transcorridos mais de dois anos, ainda não se sabe de definitivo as causas da tragédia que deixou 270 mortos, oito ainda não localizados e identificados, a despeito de todos os esforços.

Todo mundo e todo o mundo que pensa e acompanha os fatos ainda quer saber o final desse terrível acidente, sem igual na América Latina. Principalmente, quando se sabe que a Vale, responsável pela exploração da mina, tem história e consciência de seus serviços a Minas Gerais, ponto de seu nascimento na crônica da indústria minerária.

A Universidade Politécnica da Catalunha é a instituição que mais recentemente estudou o terrível desastre e ofereceu a sua versão sobre a causa, que impressionou os assistentes de programas de televisão. Uma perfuração que se fazia em ponto crítico da mina, no momento da ruptura, produziu o potencial gatilho da liquefação, que passou a se comportar como líquido e sobrecarregou a estrutura. Em seguida, o que se viu, com estupefação.

Organismos públicos e privados, em Minas, no país e no exterior, não mediram esforços para esclarecer. Uma tragédia dessa dimensão não pode ficar impune, se culpado houver. Indiciaram-se 16 réus por homicídio doloso e crimes ambientais. E daí? As famílias continuarão chorando pelas suas vítimas. Nenhuma indenização cobrirá a dor pela vida perdida.

A Vale tem procurado indenizar o que for indenizável. Segundo o estudo, “registros sismográficos sugerem que uma liquefação contida pode ter ocorrido em junho de 2018, sete meses antes da tragédia. Na época, houve um incidente considerado grave durante procedimento em que a Vale buscava drenar água do lençol freático. Foram causados vazamentos visíveis de lama em vários pontos da barragem, que foram rapidamente contidos. O incidente provocou um aumento local e temporário nas pressões piezométricas da água e algum abatimento na barragem".

No dia 6, houve a falência por horas dos equipamentos do Facebook, Instagram e WhatsApp. Foi um abalo internacional, principalmente nos prognósticos de seu proprietário, um dos homens mais ricos do mundo. Também acontece. De tudo se tira uma conclusão. O que é humano, jamais é perfeito.

Temos de nos cobrir de humildade para enfrentar os males nossos de todos os dias.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85910
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 21/10/2021 13:04:04
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia nos Estados brasileiros

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 30/9 a 7/10 e 14 a 21/10 (2 períodos de 7 dias), nos 26 Estados e Distrito Federal, do Brasil, revelaram que 12 Estados (44,4%) reduziram seus respectivos percentuais, 12 Estados+DF (48,1%) aumentaram, e 2 não aumentaram, nem reduziram (7,4%).
As 12 reduções variaram entre 5,9% (Mato Grosso) e 97,6% (Amazonas).
Os 13 aumentos variaram entre 4,8% (Paraíba) e 300,0% (Roraima).
Não aumentaram, nem reduziram: Pará e Sergipe.
- 5 maiores reduções: Amazonas (97,6%), Amapá (62,5%), Acre (50,0%), São Paulo (40,8%) e Maranhão (35,0%).
- Minas Gerais reduziu 34,5%; passou de 374 para 245 mortes entre os 2 períodos.
- 5 maiores aumentos: Roraima (300,0%), Piauí (78,6%), Tocantins (44,4%), Ceará (26,7%) e Rio Grande do Sul (22,1%).
- 5 maiores números absolutos de mortes entre 14 e 21/10: 1º Rio de Janeiro 490, 2º São Paulo 462, 3º Paraná 399, 4º Minas Gerais 245 e 5º Rio Grande do Sul 182.
- Variações percentuais de mortes nos 2 períodos: Rio de Janeiro -32,5%, São Paulo -40,8%, Paraná +22,0%, Minas Gerais -34,5% e Rio Grande do Sul +22,1%.
- O Brasil reduziu 18,2% (passou de 3.251 para 2.660 mortes entre os 2 períodos; média diária passou de 464 para 380).
- Semana / Média diária de mortes por Covid no Brasil
16 a 23/9 531
23 a 30/9 544
30/9 a 7/10 464
07 a 14/10 318
14 a 21/10 380
Fonte: g1.com.br/coronavirus
9 a 16/10 321 (Fonte: OMS/JHU)

Reiteramos a alta importância de continuarmos em alerta contra o coronavírus e suas variantes, conforme recomendam os especialistas (por exemplo, na mensagem 85896, de 14/10/21), devido à média diária de mortes do Brasil estar entre as 5 primeiras da classificação da Organização Mundial de Saúde, até porque a população totalmente imunizada do nosso país está em 50%, sendo necessário atingirmos 80% pelo menos.

Manchetes:
g1/JH, 20/10/21: "Brasil chega a 50% da população totalmente imunizada contra Covid".
g1/JH, 19/10/21: "Brasil registra 197 mortes por Covid em 24 horas; média móvel completa uma semana abaixo de 400".

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
13h0m, 21/10/21 - amanhã: São João Paulo II

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85909
De: Prefeitura Data: Sábado 20:56:20
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

Município de Montes Claros – MG
Procuradoria-Geral
DECRETO Nº. 4306, 20 DE OUTUBRO DE
2021
DISPÕE SOBRE MEDIDAS DE
ENFRENTAMENTO DA COVID-19 NO MUNICÍPIO
DE MONTES CLAROS, ALTERANDO
DISPOSITIVO DOS DECRETOS Nºs. 4169 E
4268/2021 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de
suas atribuições legais, nos termos dos arts. 71,
inciso VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei Orgânica
Municipal e do disposto no artigo 30, inciso I, da
Constituição da República, bem como nos termos
da Lei Municipal 5.252/20 e da Lei Federal 13.979,
de 06 de fevereiro de 2020 e,
CONSIDERANDO, a criação do plano municipal
“AVANÇA MOC, COM RESPONSABILIDADE”;
CONSIDERANDO, a melhora dos índices
epidemiológicos da COVID-19 no Município;
CONSIDERANDO, que o Município de Montes
Claros encontra-se em estágio avançado de
vacinação, possibilitando a flexibilização de
algumas atividades;
DECRETA:
Art. 1º – A partir da publicação do presente Decreto,
as regras de distanciamento para os serviços
educacionais, nas redes privada e pública, no
Município de Montes Claros, previstas no Decreto
Municipal n.º 4169, de 08 de fevereiro de 2021,
serão aplicadas com o espaçamento de 1,0 (um)
metro.
Art. 2º – O §2º., do art. 1º., do Decreto Municipal
4268, de 27 de agosto de 2021, passa a vigorar
com a seguinte redação:
“§2º. O funcionamento dos cinemas deverá, ainda,
obedecer às seguintes regras adicionais:
I – limite de público de até 50% (cinquenta por
cento) dos lugares existentes, limitado ao máximo
de 60 (sessenta) pessoas por exibição;
II – utilização, pelos clientes, de assentos
alternados, respeitando o distanciamento, exceto
no caso de mesmo grupo familiar ou de pessoas
que possuam relacionamento afetivo;
III – atendimento apenas a clientes vacinados
contra a COVID-19, com a primeira dose ou dose
única, desde que conste pelo menos 15 (quinze)
dias da vacinação, a ser comprovado mediante
apresentação do cartão de vacinação e documento
de identidade com foto;
IV – utilização obrigatória de máscaras em todo o
recinto.”
Art. 3º – O descumprimento das regras previstas
no presente Decreto implicará na aplicação das
penalidades descritas no artigo 25, do Decreto
Municipal n.º 4046/2020, além de eventuais
punições no âmbito penal, a cargo da autoridade
competente.
Art. 4º – A implementação da presente norma não
dispensa o cumprimento das regras previstas no
Decreto Municipal n.º 4046, de 20 de maio de
2020, bem como o cumprimento das demais
regras de prevenção e combate da COVID-19,
em vigor no Município e não alteradas pelo
presente Decreto.
Art. 5º – Este decreto entra em vigor na data de
sua publicação, revogando-se as disposições em
contrário.
Município de Montes Claros, 20 de outubro de
2021.
Humberto Guimarães Souto
Prefeito de Montes Claros
Otávio Batista Rocha Machado
Procurador-Geral
Dulce Pimenta Gonçalves
Secretária Municipal de Saúde

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85908
De: Isaías Caldeira Data: Quarta 20/10/2021 08:49:47
Cidade: M. Claros

CABELOS BRANCOS

Isaías Caldeira Veloso


Meus amigos têm cabelos brancos. Tingidos de neve pelos anos.

Dizem “não os pinto”, como se a tinta fosse um capitis diminutio, uma desonra ao que são, ou se pretendem: machos alfas em seus haréns monogâmicos, onde, sob juramento de fidelidade eterna às amadas, acham-se na obrigação de envelhecerem juntos, eles e elas. Mesmo que estas - as amadas - se artificializem em plásticas, cílios e tintas.

Eu, não! Só tinjo os cabelos, porque tudo é falso.

Cecília Meireles já me libertou - desde os dezessete anos, quando li sua obra poética - da escravidão à opinião alheia sobre o que somos. E Cecília o fez com estes versos, que cito de memória: “… que importa estes cabelos e este rosto, se tudo é tinta, a vida, o contentamento, o desgosto”.

Chico Xavier, que se sabia atemporal e eterno, recomendava que os feios buscassem artifícios que minorassem seus aspectos, onde incluía, com seu exemplo pessoal, uma indefectível peruca e alguma maquiagem.

Sim. Sei que um velho conservado não deixa de ser um velho. Uma velha com um colar de esmeraldas não esconde a pele flácida do pescoço.

Mas, não fazemos essas coisas para enganar ninguém. Fazemos por nós mesmos, para nossos espelhos de todos os dias. Se nos sentirmos jovens, assim estaremos, embora não o sejamos. Doce ilusão! Breves serão nossos dias, afirma o Eclesiastes. Vanitas, vanitas! Tudo vaidades!

Um oleiro nos aguarda, indiferente ao que fomos. Barro adiado, criamos adornos efêmeros num corpo volátil como um fumo, que será disperso, numa amanhã impossível.

Entretanto, insisto em negar o espelho. E, assim, maquio a face com a ilusão de mentir o que sou. Mesmo certo que desfilo desnudo aos olhos dos meus contemporâneos, fartos de enganos.

Um homem que recusa o tempo, paga pelo tempo que tem. Não nego nada. Mas, acinzento tudo, reconheço.

E vou distribuindo as moedas da ilusão pelos caminhos, sem grandes pretensões. Mas, afirmo-me como sou: quase um velho. Mas, sempre cheio de vontade e potência! Que outros se entreguem ao tempo e suas ruínas.

Meus martelos, com acrescentada força, vão me afirmando como ser, enquanto mascaro esses desenhos feitos pelo tempo. Ainda que o espelho diga "não", certificando as rugas, uma a uma, neste mapa que é meu corpo, que é meu mundo.

Não engano ninguém. Iludo-me, somente. Uma ilusão a mais, neste mundo mágico!

Sim, somos todos ilusionistas de nós mesmos!

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85907
De: Manoel Hygino Data: Quarta 20/10/2021 08:30:59
Cidade: Belo Horizonte

Há 200 anos

Manoel Hygino

Em belo artigo recentemente publicado, Danilo Gomes recorda os últimos dias de Napoleão Bonaparte na ilha de Santa Helena, para onde fora em exílio a passar os últimos dias naquele “deserto de amargura e tédio”, como descreveu André Maurois. Os fracassados em seus projetos não têm escolha, pois o ex-imperador preferiria ter morrido em Moscou, Danilo Gomes, de nossa Academia Mineira de Letras, observa que foram cinco anos e meio de sofrimento e meditação. “As gerações futuras também meditariam sobre Santa Helena, sobre o poder e queda, o fastígio e a derrota, a ambição e o abandono”.
O ato final se deu há duzentos anos, em 5 de maio de 1821. O médico, com apenas 33 anos, corso como o falecido e a quem Napoleão detestava, “gentilmente fechou os olhos do famoso morto e parou o relógio. Eram 17h49, e o sol melancolicamente descaía sobre a desolada ilha atlântica. Chovia naquele dia, e à tarde a chuva se transformou num medonho temporal”.
O Dr. Antommarchi, especialista em autópsias, lhe encontrou no estômago vestígios de uma úlcera cancerosa bem extensa, nunca combatida. A hipótese de envenenamento com arsênico, a mando dos Bourbons, persiste há mais de duzentos anos. Os pesquisadores e ficcionistas se servem do tema para escritos.
Depois dos dias gloriosos, de suas eloquentes falas à tropa, de suas tentativas de dominar a Europa, o mais célebre guerreiro da época, estava esquecido numa longínqua terra cercada de água por todos os lados. Diante e depois da derrota e do abandono por quantos deveriam ainda preservar-lhe o restante de grandeza e nome, Napoleão não podia mais expressar sua vergonha e dor. Os mortos não falam.
No fracasso, a maior virtude reside na humildade, mas o ambiente não era propício a manifestações do gênero. Não se viam sequer lágrimas, enquanto o navio Heron era despachado à Inglaterra levando a notícia do passamento do pequeno herói, em dimensões físicas.
O excelente articulista Danilo Gomes conclui: “Napoleão Bonaparte foi enterrado no dia 8, em cova simples, com uma grande pedra por cima, sob o olhar inamistoso do governador militar Hudson Lowe. Houve uma singela cerimônia religiosa. Lowe perguntou ao general Bertrand se desejava dizer algumas palavras, mas ele estava muito consternado e declinou do honroso convite. Ocorreu uma modesta cerimônia militar por parte dos soldados ingleses, com bandas tocando músicas fúnebres e com disparo de três salvas de mosquetaria”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85906
De: Manoel Hygino Data: Terça 19/10/2021 08:27:01
Cidade: Belo Horizonte

A guerra não terminou

Manoel Hygino

Não foi fácil vencer as resistências sobre a gravidade da situação que enfrentaria o Brasil, com a chegada do coronavírus, causador da Covid 19. Há sempre aqueles que se julgam suficientemente sábios, mesmo que não vejam um palmo diante dos olhos. Que se há de fazer? Resta enfrentá-los, mesmo que se conheçam os percalços e rudes oposições dos donos do poder e da verdade, dispostos a defender seus pontos de vista qualquer preço.
Assim aconteceu com o Brasil, que não quis seguir os caminhos da ciência e da experiência já adquirida pelos que chegaram antes às melhores orientações. No caso específico, a imunização em massa da população, ao contrário de medicamentos comprovadamente ineficazes à renitente enfermidade que chegou de outra parte do mundo.
Embora o problema da Covid-19 não seja oftalmológico, comprovou-se mais uma vez que o pior cego é aquele que não quer ver. No caso, o governo brasileiro instituiu em suas teses, resultando em chegar-se, em 8 de outubro de 2021, a 600 mil vítimas fatais. Ou, exatamente, 600.425 óbitos causados até aquela data pela insidiosa moléstia, que se quer provar pré-fabricada em laboratório chineses.
Mas a crônica da Covid é marcada pela insistência ao negacionismo e pelo surgimento de inúmeros “casos”, que exigiriam investigação severa de quem tenha dever de fazê-lo. Para esse mister, atua a CPI no Senado, cuja audiência de testemunhas já terminou, aguardando-se o relatório final do parlamentar incumbido da missão. Como em outras ocasiões, há cheiro de podridão no reino da capital nacional.
O Brasil superou 100 mil mortes em agosto de 2020. Cinco meses após, em janeiro, a cifra tinha dobrado. Mais 75 dias, e o número era 300 mil. O marco de 400 mil foi em abril, e o meio milhão, em junho. Ao longo de 2021, foram 61 dias (55 seguidos) com médias acima de 2.000 mortes. Desde o início, foram 247 dias com média de ao menos 1.000 vidas perdidas por dia. A média móvel passou a 438, a menor desde 13 de novembro.
A guerra, todavia, ainda não foi ganha. Especialistas acham que a crise sanitária ainda não está vencida. Além do risco de variantes novas, o patamar de vítimas ainda é alto, com quinhentas por dia, exigindo doses extras de imunização, e cuidado com sequelas.
Uma das razões na queda dos índices reside na vacinação, mas ainda faltam milhões para receber o imunizante. Não é hora de parar; pensar em carnaval é prematuro, embora o período de Momo se aproxime. Primeiro a vida.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85905
De: Felisberto Data: Terça 19/10/2021 07:53:55
Cidade: Goiânia

Congratulo-me com o Mauro (mensagem 85903) e com o Dr. Isaias ( mensagem 85902). Belissimas e poeticas. Parabens senhores. Continuem a nos brindar com essas magnificas mensagens. Parabens !

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85904
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 18/10/2021 15:52:59
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 27/9 a 4/10 (7 dias) e 13 a 18/10 (5 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 16 municípios (53,3%) reduziram seus respectivos percentuais, 11 (36,7%) aumentaram e 3 (10,0%) não reduziram, nem aumentaram.

Minas Gerais reduziu 27,0%, de 49,86 para 36,40, considerando as médias diárias em cada período, quando passou de 349 para 182 mortes.

As 16 reduções variaram entre 7,0% (Betim e Ribeirão das Neves) e 100,0% (Varginha, Curvelo, Patos de Minas, Sabará, Sete Lagoas e Vespasiano; não houve mortes nesses municípios entre 13 e 18/10).

3 municípios em que não houve variações do 1º para o 2º período: Poços de Caldas, Caratinga e Ibirité (nenhuma morte nos 2 períodos)

5 maiores reduções percentuais: nos 6 municípios em que não houve mortes entre 13 e 18/10, acima citados (100,0% de redução), Ipatinga (78,5%), Governador Valadares e Contagem (64,9%), Belo Horizonte (47,2%), Divinópolis e Santa Luzia (43,7%).

Os 11 aumentos percentuais variaram entre 12,7% (Araguari) e infinito (Teófilo Otoni, de 0 para 1 morte; Passos, de 0 para 2; Coronel Fabriciano, de 0 para 1 e Janaúba, de 0 para 2).

5 maiores aumentos percentuais: Juiz de Fora (321,0%), Montes Claros e Itabira (185,7%), Uberaba (179,1%), Januária (42,8%) e os 4 municípios citados no item anterior, com infinito.

5 maiores números absolutos de mortes entre 13 e 18/10: Belo Horizonte (20), Uberlândia (18), Juiz de Fora e Uberaba (12 cada), Betim, Araguari e Itabira (4 cada) e Contagem, Ribeirão das Neves, Montes Claros, Ipatinga, Divinópolis, Santa Luzia, Passos e Janaúba (2 mortes em cada um dos 8 últimos municípios).

Montes Claros, que aumentou 185,7%, considerando as médias diárias em cada período, passou de 1 para 2 mortes.

Belo Horizonte, que reduziu 47,2%, também pelas médias diárias, passou de 53 para 20 mortes.

Quantidade de municípios com zero mortes no 1º período: 7; idem, no 2º período: 9.

Dados de Minas Gerais hoje: Total de casos confirmados 2.167.653; total de recuperados 2.088.124; óbitos confirmados 55.218

Fonte: Boletim Epidemiológico da SES/MG, 18/10/21, após 10h23m.

Dados do Brasil hoje, às 10h42m: Casos confirmados 21.644.464; Mortes 603.282.

Manchete:
g1/Grande Minas, 14/10/21, 17h32: "Covid-19: 65,6% das pessoas que morreram nos últimos 6 meses no Norte de Minas não tomaram nenhuma vacina. Dado foi divulgado pela Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros".

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
18/10/21, 15h50m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85903
De: Mauro Data: Segunda 18/10/2021 11:00:37
Cidade: BH

Também me levanto para aplaudir os belos escritos de Isaías Caldeira, Juiz de Direito em M. Claros.

E me apresso a dizer que ele não está só no ofício de poeta no instante em que também exerce as funções de julgador, respeitado, sucessor de Ulpiano e de Papiniano.

Assim o fez o poeta ouro-pretano Alphonsus de Guimaraes (1870), por sinal patrono da Academia Mineira de Letras, e patrono das letras no Poder Judiciário de Minas.

Lembro-me, cito que o Fórum de Montes Claros tem o nome de Antonio Golçalves Chaves, jurista celebrado, publicista, e governador de 2 estados brasileiros.

Ancestral de extraordinários homens das letras de Minas, os irmãos João Chaves e Hermenegildo Chaves, este também uma legenda no jornalismo de Minas.

Em homenagem ao juiz Isaías, peço que publiquem o poema abaixo, de Alphonsus de Guimaraes, para que todos testemunhem quanto devemos à magistratura de Minas, e também nas letras.

Por fim, menciono que o poeta e juiz Alphonsus morou na eterna Conceição, do Mato Dentro, de José Aparecido de Oliveira, por sinal sobrinho da sua esposa, e a ela dedicou magistrais poemas da escorreita e difícil poesia simbolista.




A Catedral

Alphonsus Guimaraens

Entre brumas ao longe surge a aurora,
O hialino orvalho aos poucos se evapora,
Agoniza o arrebol.
A catedral ebúrnea do meu sonho
Aparece na paz do céu risonho
Toda branca de sol.

E o sino canta em lúgubres responsos:
"Pobre Alphonsus! Pobre Alphonsus!"

O astro glorioso segue a eterna estrada.
Uma áurea seta lhe cintila em cada
Refulgente raio de luz.
A catedral ebúrnea do meu sonho,
Onde os meus olhos tão cansados ponho,
Recebe a benção de Jesus.

E o sino clama em lúgubres responsos:
"Pobre Alphonsus! Pobre Alphonsus!"

Por entre lírios e lilases desce
A tarde esquiva: amargurada prece
Poe-se a luz a rezar.
A catedral ebúrnea do meu sonho
Aparece na paz do céu tristonho
Toda branca de luar.

E o sino chora em lúgubres responsos:
"Pobre Alphonsus! Pobre Alphonsus!"

O céu é todo trevas: o vento uiva.
Do relâmpago a cabeleira ruiva
Vem acoitar o rosto meu.
A catedral ebúrnea do meu sonho
Afunda-se no caos do céu medonho
Como um astro que já morreu.

E o sino chora em lúgubres responsos:
"Pobre Alphonsus! Pobre Alphonsus!"

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85902
De: Isaías Caldeira Data: Segunda 18/10/2021 06:46:17
Cidade: Montes Claros

A NOITE É INFINITA

Isaías Caldeira Veloso


A noite é infinita.

As estrelas testemunham a eternidade em seu silêncio de luz em meio às trevas. Tudo acontece num segundo. Tudo é o eterno retorno. E, assim, nunca tem fim. É sempre presente o que foi, o que é .

O que será, foge do meu testemunho. Só o meu tempo certifica o mundo. O mais não passa de delírios advindos de expectativas construídas sobre o efêmero e imponderável.

As manhãs serão sempre feitas de sol, pontualmente, como testemunham os galos, que anunciam arrebóis. A noite apenas confirma o dia e a luz adiada.

Inutilmente, aparo o tempo na memória, porque fugaz, indiferente à luz ou penumbra. Mas, não tenho como evitar sua passagem na eterna rotação do céu que nos guarda.

Sou apego ao que vivi e aos meus enganos sensoriais. Afinal, tudo é ilusão.

Vastas, as impossibilidades certificam o real. E Pandora cumpre seu destino de esperança.

Toda noite é um castelo de desejos em forma de sonhos, revelando o inconsciente.

No instante vivido, presente, nesta noite dominical, apanho os arredores festivos no bar onde confabulo, comigo, esses somatórios de desejos de tantos. Os mesmos, desde sempre, que afastam o cálice de fel da vida de cada um. Mas, que todos provarão seu gosto amargo. Destino dos homens.

Mas - pasmem! - sou feliz!

Meus avós sonharam esses mesmos sonhos e cerraram os olhos cientes da permanência real, na descendência, ou pela fé, na imortalidade espiritual.

Por mim, creio que ambas são reais.

Então, como almejo certo conforto eterno, sigo tentando não sacanear ninguém, não ser hipócrita, nem acumular bens.

Neste item, sei que tive sucesso: aos 62 anos, moro de aluguel e não deixarei bens a inventariar. Meus sonhos, porém, encherão obituários! O amor de tantos, hauridos na lida cotidiana, será meu acervo, herança na memória de alguns.

O mais que fui, não vale nada.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85901
De: Afonso Cláudio Data: Domingo 17/10/2021 10:36:11
Cidade: Montes Claros/MG

Vendaval derruba 8 estruturas de LTs no Triângulo Mineiro

Folha de São Paulo, 16/10/2021, 14h18m: "Vendaval derruba torres e deixa 13 cidades sem luz no Triângulo Mineiro".

Oito estruturas das linhas de transmissão de energia elétrica, 138 kV, Avatinguara-Ituiutaba 1 e Avatinguara-Campina Verde 2, foram derrubadas na tarde de 15/10/2021, às 17h16m, por fenômeno natural de muita intensidade, interrompendo o fornecimento para 13 municípios daquela região.
"A queda de 8 torres ocorreu na noite de sexta-feira (15). Desde o início deste sábado (16), a Cemig atua para restabelecer a energia nas cidades de Cachoeira Dourada, Campina Verde, Capinópolis, Carneirinho, Gurinhatã, Ipiaçu, Itapagipe, Ituiutaba, Iturama, Limeira do Oeste, Santa Vitória, São Francisco de Sales e União de Minas." Total aproximado de habitantes: 260.000, sendo as maiores populações as de Ituiutaba, com 106.000, e Iturama, com 40.000.
Conforme o g1/JN, de ontem, os ventos foram de até 90 km/h e 119 mil residências e comércios ficaram sem suprimento de energia. Até às 9h40m de hoje, 17/10/2021, a interrupção do fornecimento de energia elétrica aos 13 municípios continuava.
Nos últimos dias têm ocorrido vários fenômenos semelhantes em diversas regiões de Minas, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, com ventos fortes, muita poeira e quedas de árvores, em função das mudanças climáticas, alertando às populações para que se mantenham protegidas, em locais seguros, longe de grandes estruturas de linhas de transmissão, da rede de distribuição aérea, de árvores, de coberturas e painéis metálicos, montanhas ou picos, nas regiões rurais e urbanas. E não se aproximem de cabos/fios rompidos e que estejam tocando o solo, em hipótese alguma, acionando a CEMIG e/ou o Corpo de Bombeiros para eventuais ocorrências no sistema elétrico.
Muito importante também se prevenir de acidentes em rios e lagos como, por exemplo, o naufrágio de um barco-hotel no Rio Paraguai, próximo a Corumbá/MS, na região do Pantanal, que infelizmente resultou em 7 vítimas fatais, provocado por tempestade de vento, conforme o g1/JN de ontem.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista
17/10/21, 10h30m.

12h33m. - Acaho de verificar no g1 do Triângulo Mineiro que ocorreu na madrugada de hoje o restabelecimento do fornecimento de energia aos 13 municípios afetados pela interrupção iniciada às 17h16m de 15/10/21. "Após queda de torres durante vendaval, fornecimento de energia elétrica é normalizado em 13 cidades do Triângulo Mineiro A queda foi registrada na noite de sexta (15) e prejudicou diversos serviços nas cidades da região. Unidades de saúde funcionaram com geradores e doses de vacinas precisaram ser devolvidas à Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ituiutaba. Segundo a Cemig, foram mais de 36 horas de trabalho para o restabelecimento. Por g1 Triângulo e Alto Paranaíba - Uberlândia, MG 17/10/2021 11h48 Atualizado" ACSG - Eng. Eletricista; 17/10/21, 12h33m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85900
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 16/10/2021 12:20:52
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações de mortes por Covid-19 nos países, entre 24/9 a 2/10 (8 dias) e 9 a 16/10 (7 dias), relativas a 19 dos 20 primeiros da classificação da OMS, em ordem decrescente dos percentuais.
5 países (26,3%) tiveram aumentos, variando de 2,0% a 105,2%.
14 países (73,7%) tiveram reduções, variando de 1,1% a 70,6%.

Class. / País / *Mortes 24/9 a 2/10 / *Mortes 9 a 16/10 / Var. %
*Médias diárias
1º Polônia 17,2 35,3 +105,2
2º Ucrânia 168,1 315,7 +87,8
3º Filipinas 136,0 170,3 +25,2
4º Turquia 189,1 206,7 +9,3
5º Alemanha 58,9 60,1 +2,0
6º Rússia 831,6 822,1 -1,1
7º Colômbia 38,0 34,8 -8,4
8º Índia 275,6 229,3 -16,8
9º Espanha 34,7 28,0 -19,3
10º Reino Unido 123,2 97,4 -20,9
11º Estados Unidos 1995,4 1557,1 -22,0
12º México 479,9 342,6 -28,6
13º Irã 269,4 189,3 -29,7
14º Itália 52,7 32,7 -37,9
15º Brasil 536,4 320,6 -40,2
16º França 41,1 22,3 -45,4
17º Argentina 56,6 30,8 -45,6
18º Indonésia 114,0 39,6 -65,3
19º África do Sul 131,2 38,6 -70,6
Mundo* 7.875,6 6.356,6 -19,3
*Casos confirmados 240.115.275; Mortes 4.890.340
Fonte: OMS/JHU, 16/10/21, 8h5m.

Entre 5 dos 19 países do quadro acima, que tiveram mais de 2.000 mortes entre 9 e 16/10, o Brasil está no 4º lugar, em ordem decrescente, com a média diária de 321 mortes.
Países/Média diária 9 a 6/10: 1º Estados Unidos 1557; 2º Rússia 822; 3º México 343; 4º Brasil 321; 5º Ucrânia 316.
Os demais 14 países têm média diária variando entre 22 (França) e 229 (Índia).
Continuemos em alerta contra o coronavírus e suas variantes, praticando todos os cuidados recomendados pelos especialistas, até o fim da pandemia, que ainda não ocorreu.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
16/10/21, 12h16m - Santas Edwiges e Margarida Maria Alacoque

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85899
De: Manoel Hygino Data: Sábado 16/10/2021 07:55:12
Cidade: Belo Horizonte

Um atlas precioso

Manoel Hygino

Para registrar o cinquentenário de fundação da Academia Mineira de Medicina, publicou-se um Atlas, que se pode considerar uma das mais belas produções no gênero entre nós. A responsabilidade de fazê-lo coube ao acadêmico Geraldo Magela Gomes da Cruz, que se multiplicou em esforços para oferecer à classe médica e ao universo acadêmico do estado uma obra-prima, pelo que se depreende dos textos e da iconografia de suas mais de 260 páginas.
O que se conseguiu elaborar honra a classe dos discípulos de Hipócrates em Minas Gerais. O próprio presidente da Academia, Walter Antônio Pereira, no prefácio da obra recentemente lançada, destaca a competência e maestria do autor-organizador do Atlas, logrando o notável feito no curto espaço de tempo de que dispunha para tão exaustivo e prazeroso trabalho.
São 23 capítulos, cuja leitura será um prazer e dever para os que se dedicam à ciência médica, bem como para todos aqueles que acompanham o desenvolver da velha arte que desafia, milenarmente, os que a ela se devotam.
Temos, ademais, a partir de agora, uma referência e ponto de partida para que melhor se conheçam homens que deram tanto de sua vida à vida de seus semelhantes, imbuídos solenemente da consciência de seu dever profissional e dos ensinamentos e lições do cristianismo. Nas mais de duzentas e cinquenta páginas, há muito a aprender e reconhecer, daí um dos méritos da obra que a Academia tem a generosidade de editar, fruto da dedicação de um dos nossos devotados estudiosos da medicina em nosso meio, cujos nomes não podem ser simplesmente esquecidos. Eles merecem a gratidão da sociedade.
Lembre-se aqui, por oportuno, discurso de Miguel Couto, no lançamento da pedra fundamental do prédio da Faculdade de Medicina, exatamente em 30 de julho de 1911, na avenida Alfredo Balena, antiga Mantiqueira. Depois de mais de um século do fato, podemos admitir que a independência intelectual foi conquistada com a Academia Mineira de Medicina, que dá prova de vitalidade e atuação com a publicação de um Atlas, que constitui uma síntese da representatividade dos médicos do Estado.
A Academia é um instituto de ordem sobremodo elevada. Convenhamos que se trata também de uma casa superior de ensino, segunda fórmula - ensinar trabalhando, para que os novos dispostos ao exercício da profissão, se compenetrem de que a arte de Hipócrates permanece na observação, ars tota observationbus, aliando a ciência à caridade, se já não é uma forma de caridade aprender em uns para acudir aos outros, como se expressou Miguel Couto.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85898
De: José Ponciano Neto Data: Quinta 14/10/2021 20:03:26
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

2022 PROVOCA GUERRA DA BONDADE.

Qualquer surgimento de uma Epidemia ou Pandemia é um sofrimento para um povo e para sua Nação. Quantas Epidemias o Brasil já enfrentou? Inúmeras! Não adianta elencar, por que todos sabem que, desde bíblica Cólera (Salmos 38:3/76:10) ao vírus atual (SARS).

O maior compromisso de qualquer nação em enfrentar uma doença, é apelar para a ciência e contar com a coragem voluntária dos agentes sanitários que atuam na linha de frente para combaterem a tal doença visando salvar milhões de vidas e acelerar o progresso no controle da Pandemia. Um exemplo foi à união global para apressar o progresso no controle da AIDS através do antirretroviral desenvolvido pela ciência – o famoso AZT. - Foi um passo significativo para reduzir a infecção.

Diante do exposto, assistimos agora a falta de ajuntamento da União com os Estados da Federação e vice e versa. Estão praticamente numa “Guerra Civil Midiática”. Em vez de resolverem os problemas da economia, principalmente os rombos dos cofres público - onde as Receitas de Impostos – mesmo com taxas exuberantes - foram menores do que as Despesas, envolve também os gastos com o pagamento da divida pública.

Isso significa que, nos dias atuais os R$ bilhões negativos irão comprometer a retomada da economia nos próximos anos.

A preocupação do momento é com a campanha política de 2022 fomentada pelos os Auxílios (populistas) Emergenciais que, antes eram denominados de “fabrica de vagabundo” – hoje se tornaram o carro chefe dos poderes. Todos querendo ser o “Pai da criança”.

Com as circunstâncias atuais na distribuição de rendas - é mais que JUSTO o auxílio emergencial aos mais desprovidos de recursos financeiros - aqueles que estão abaixo da linha de pobreza - sabemos que a fome gera violência.
Tenho consciência disso!

Face das demandas sociais e econômica, quase todos os estados e o governo federal declararam situação de emergência no combate ao estado de calamidade, inclusive algumas Prefeituras aderiram os programas.

Adotaram como resolução, disputar quem oferece mais ($$) no Auxilio Emergencial.

No inicio da pandemia o AUXÍLIO EMERGENCIAL FEDERAL era de R$ 191,00 por apenas quatro meses para pessoas em vulnerabilidade – logo passaram a R$ 600,00 – dependendo das circunstâncias o valor pode chegar até R$ 1.200,00 (salário mínimo).

O AUXÍLIO EMERGENCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS, conforme Lei nº 2.442/21 aprovada pela Assembleia, estabelece o pagamento de um Auxílio Emergencial, em parcela única, de R$ 600 para famílias cuja renda “per capita” é de até R$ 89,00. Porém, com uma condicionante: A conformidade com a base de dados do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

Mas não para por aí! A PREFEITURA DE BELO HORIZONTE irá decretar Programa “Auxílio Belo Horizonte”, que viabilizará o pagamento de subsídio de R$ 600 por família de extrema pobreza, que será pago em parcelas de R$100,00.

Resumindo. A bondade que deveria ser por meio do espírito fraternal, passou a ser uma disputa política. – Um leilão de agrado!

A política de geração de emprego e da recuperação fiscal está perdendo para a “guerra da bondade” que visa 2022.

De onde virá o dinheiro da bondade? Não sabemos!

Só sei que estou pagando o Pato sem ser o culpado. O Leão (IR) estar cada ano mais voraz.

A criação de “frentes de serviços” seria ceder uma vara para ensinar pescar – já o auxílio emergencial é dar o peixe. – Aí... já viu né... ??

Reafirmo: não sou contra em ajudar os mais pobres - mas tem que ter limites! - Quem ganha o almoço, depois quer a sobremesa.

Quem paga o déficit público é aquele que estar na base da economia – é o proletário e o pequeno empresário.

Já não sei se é uma guerra política – guerra religiosa – guerra de gestão, ou guerra do populismo. Mais parece uma guerra aprovada pelo establishment midiático dos poderes..! >> Falta é definir uma Economia Planificada. – Creio!!!

TRÊS AUXÍLIOS: Almoço – sobremesa e o cafezinho.

XIV-X-XXI
(*) José Ponciano Neto é “autodidata” na ciência da utilização dos recursos $$ necessários ao bem estar da família.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85897
De: Prefeitura Data: Quinta 14/10/2021 20:08:44
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

Município de Montes Claros – MG
Procuradoria-Geral
Decreto nº 4303, de 14 de outubro de 2021
DETERMINA PRORROGAÇÃO DAS REGRAS
DE FUNCIONAMENTO DE FEIRAS NO
MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS, REVOGA
DISPOSITIVO DO DECRETO MUNICIPAL 4046/
2020 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de
suas atribuições legais, nos termos dos arts. 71,
inciso VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei Orgânica
Municipal e do disposto no artigo 30, inciso I, da
Constituição da República, bem como nos termos
da Lei Municipal 5.252/2020 e da Lei Federal
13.979/2020 e,CONSIDERANDO, a edição do Decreto nº 4293,
de 30 de setembro de 2021, que instituiu medidas
de enfrentamento da COVID-19 no que tange
funcionamento de feiras;
CONSIDERANDO, que o funcionamento de feiras
somente poderá ocorrer com absoluta a segurança
sanitária, visando prevenir o contágio pelo agente
Novo Coronavírus – SARS-CoV-2;
DECRETA:
Art. 1º – Ficam prorrogados, até o dia 29 de
outubro de 2021, os efeitos do Decreto nº 4293,
de 30 de setembro de 2021, que: “DISPÕE SOBRE
O FUNCIONAMENTO DE FEIRAS NO MUNICÍPIO
DE MONTES CLAROS E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS”.
Art. 2º – Fica revogada a alínea “d”, do inciso XI,
do §4º., do art. 7º, do Decreto Municipal n.º 4046,
de 20 de maio de 2020, com redação dada pelo
Decreto Municipal n.º 4215, de 13 de maio de
2021.
Art. 3º – Este Decreto entra em vigor na data de
sua publicação, revogando as disposições em
contrário.
Município de Montes Claros, 14 de outubro de
2021.
Humberto Guimarães Souto
Prefeito de Montes Claros
Otávio Batista Rocha Machado
Procurador-Geral
Dulce Pimenta Gonçalves
Secretária Municipal de Saúde

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85896
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 14/10/2021 15:22:05
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia nos Estados brasileiros

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19 entre 23 a 30/9 e 7 a 14/10 (2 períodos de 7 dias), nos 26 Estados e Distrito Federal, do Brasil, revelaram que 17 Estados e DF (66,7%) reduziram seus respectivos percentuais, 7 Estados aumentaram (25,9%) e 2 não aumentaram, nem reduziram (7,4%).
As 17 reduções variaram entre 15,3% (DF) e 100,0% (Amapá).
Os 7 aumentos variaram entre 7,9% (Espírito Santo) e 200,0% (Acre).
- 5 maiores reduções: Amapá (100,0%), Roraima (92,3%), São Paulo (61,5%), Minas Gerais (52,0%) e Pará (50,0%).
Minas passou de 304 para 196 mortes entre os 2 períodos.
- 5 maiores aumentos: Acre (200,0%), Amazonas (150,0%), Sergipe (133,3%), Piauí (31,6%) e Rio Grande do Norte (22,2%).
- 5 maiores números absolutos de mortes entre 7 e 14/10: 1º Rio de Janeiro 466, 2º São Paulo 434, 3º Paraná 236, 4º Minas Gerais 196 e 5º Goiás 165.
- Variações percentuais de mortes nos 2 períodos: Rio de Janeiro -40,9%, São Paulo -61,5%, Paraná -43,4%, Minas Gerais -52,0% e Goiás -15,4%.
- O Brasil reduziu 41,4% (passou de 3806 para 2229 mortes entre os 2 períodos; média diária passou de 544 para 318). Porém, como comentamos na última análise referente aos 20 primeiros países da classificação da OMS, estamos entre os 4 primeiros países com mais de 2.000 mortes por semana, o que nos alerta para mantermos os cuidados contra o coronavírus e suas variantes, como recomendados pelos especialistas e amplamente divulgados (vacinar, usar máscara, lavar as mãos com frequência, com água e sabão, ou usar álcool em gel, higienizar objetos, ambientes e alimentos, manter a distância social, evitar aglomerações).
Fonte: g1.com.br/coronavirus, 14/10/21, após 10h27m.

Número de mortes desde o início da pandemia: Brasil 601.643 (g1) e 601.574 (OMS/JHU), 13h55m; Minas Gerais 55.036 (g1) e 55.064 (SES/MG); Montes Claros 975 (SMS/Moc) e 971 (SES/MG).

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
14/10/21, 15h12m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85895
De: Miguel Data: Quinta 14/10/2021 14:28:54
Cidade: M. Claros

Amiga minha, mãe de família, responsável, de extrema confiança, compareceu ontem quarta-feira às 14h10m, para receber a segunda dose da vacina no Posto de Saúde José Carlos de Lima.

Saiu no horário de almoço do seu trabalho.
Lá, já a aguardava sua irmã, com a senha.
Passou a esperar, como as demais pessoas.
Por volta das 16h30m, foi chamada.

Entrou numa sala, onde havia 2 enfermeiras.

Sentou-se, para receber a segunda vacina, quando as duas então comentaram, uma com a outra:
- Você sabe que a vacina Astrazeneca acabou?

Foi assim que ficou sabendo que não havia a vacina pela qual esperou por mais de 2 horas.

Perguntou por que não foi avisada antes, como seria razoável, e por qual razão teve de esperar inutilmente, quando já se sabia do fato.

Nao ouviu resposta.

Pergunto:

- É assim que a população precisa ser tratada, num momento que é difícil para todos?

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85894
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 13/10/2021 16:02:09
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 20 a 27/9 (7 dias) e 4 a 13/10 (9 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 20 municípios (66,7%) reduziram seus respectivos percentuais e 10 (33,3%) aumentaram.

Minas Gerais reduziu 15,2%, de 41,14 para 34,88, considerando as médias diárias em cada período, quando passou de 288 para 314 mortes.

As 20 reduções variaram entre 14,7% (Divinópolis) e 100,0% (Ipatinga, Patos de Minas, Caratinga, Janaúba e Pirapora; não houve mortes nesses municípios entre 4 e 13/10).

5 maiores reduções percentuais: nos 5 municípios em que não houve mortes entre 4 e 13/10, acima citados (100,0% de redução), Poços de Caldas (84,5%), Araguari (80,7%), Juiz de Fora (76,3%) e Uberaba (65,6%).
Os 10 aumentos percentuais variaram entre 21,0% (Uberlândia) e infinito (Curvelo, de 0 para 2, Pouso Alegre, de 0 para 3 e Sete Lagoas, de 0 para 2).

5 maiores aumentos percentuais: Santa Luzia (96,4%), Betim (75,4%), Ibirité e Vespasiano (57,1%), Belo Horizonte (47,3%) e os 3 municípios citados no item anterior, com infinito.

5 maiores números absolutos de mortes entre 4 e 13/10: Belo Horizonte (72), Uberlândia (28), Divinópolis (11), Governador Valadares e Contagem (6 cada) e Santa Luzia e Coronel Fabriciano (5 cada).

Montes Claros, que reduziu 42,1%, considerando as médias diárias em cada período, passou de 4 para 3 mortes.
Belo Horizonte, que aumentou 47,3%, também pelas médias diárias, passou de 38 para 72 mortes.

Dados de Minas Gerais hoje: Casos confirmados 2.160.751; Casos recuperados 2.078.086; Óbitos confirmados 55.036.
Fonte: SES/MG, após 10h10m.

Dados do Brasil hoje: Casos confirmados 21.590.097; Mortes 601.398. Fonte: OMS/JHU, 15h33m.

Manchete:
Uai/EM, 12/10/21: "Efeito da vacina - Transmissão da Covid-19 chega a menor patamar no Brasil". "Levantamento do Imperial College - Nível de transmissão da Covid-19 chega ao menor patamar no Brasil. Dados do IC indicam que a taxa de transmissão no país está em 0,60, menor que o aferido em novembro, quando o fator RT estava em 0,68."
Ótima notícia, porém a pandemia do coronavírus ainda não acabou e, segundo os especialistas, a vacinação ainda não atingiu os percentuais ideais de imunização, no Brasil e em outros países.
Aproximamos da vitória, mas devemos manter os cuidados recomendados (vacinar, usar máscara, distanciamento social, evitar aglomerações, higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel, bem como de objetos, alimentos e ambientes).
E que o Pai Nosso nos livre de todo mal.

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
13/10/21, 15h52m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85893
De: Manoel Hygino Data: Quarta 13/10/2021 08:46:24
Cidade: Belo Horizonte

Em louvor a Oscar

Manoel Hygino

Rapazinho, assisti à grande concentração popular na Praça da Liberdade para festejar a posse de Milton Campos ao governo de Minas. Era um importante passo à frente, após a deposição de Vargas da presidência da República e de Benedito Valadares da chefia do Executivo mineiro.
Novos nomes começariam a ser ouvidos nas ruas e nos encontros políticos. Entre eles, o de Oscar Dias Corrêa, nascido em Itaúna, em 1º de fevereiro de 1921, de ascendência portuguesa, como registrado no excelente discurso que Rogério Faria Tavares proferiu como orador oficial, na sessão do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, para comemorar o centenário de Oscar. Fê-lo, como sócio correspondente do Instituto e presidente da Academia Mineira de Letras.
De clã, trabalhador, austero, cedo aprendeu a subir em caixote e ler discursos proferidos em sessões legislativas pelo Brasil. Vindo para a capital, ingressou no Ginásio Mineiro, de ensino duro mas eficiente.
Duas temporadas, afastado dos estudos por enfermidades, não o desanimaram do projeto que para si elaborara, começando e fazendo o curso jurídico. Diplomado, ingressou no serviço público no gabinete de João Franzon de Lima, secretário de finanças do Estado. Em 1947, ano da posse de Milton no Palácio da Liberdade, assumiu uma cadeira na Assembleia Legislativa, apoiando o novo chefe do Executivo.
Em 1950, obtém a primeira cátedra universitária, em Economia de Direito, elegendo-se pela segunda vez deputado estadual e fazendo intransigente oposição ao governador Juscelino. É quando se casa com Diva Tupinambá Gordilho, filha do engenheiro Otávio Gordilho, da RMV em Itaúna, e de D. Ismar, de conceituada família de Montes Claros.
É um novo início na vida política e pessoal. Conquista uma cadeira como deputado federal, para atuar ao lado de oradores do naipe de Adauto Lúcio Cardoso, este mineiro, do baiano Aliomar Baleeiro, do ex-governador Milton Campos, do já celebrado Afonso Arinos de Melo Franco e Pedro Aleixo, uma bancada firme na tribuna e em posições.
No período militar, decide abandonar o Parlamento e opõe-se ao AL-2, mas representa o Rio de Janeiro, com o mineiro Caio Máfio da Silva Pereira, no Conselho Federal da OAB. Depois, em 1870, elege-se à Academia Mineira de Letras, para em seguida alçar à ABL, o Supremo Tribunal Federal, o Ministério da Justiça e o Tribunal Superior Eleitoral.
O excelente Célio Borja realçou: “Altivo e a tudo atento, brioso e suscetível de iras sagradas pelo interesse público, ou quando em causa seu próprio conceito ou da instituição a que pertence, o Ministro Oscar Corrêa, como juiz da Corte Suprema, deu exemplos notáveis de isenção e serenidade”. Como em todos os demais cargos que ocupou, finalizo eu.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85892
De: Afonso Cláudio Data: Domingo 10/10/2021 11:38:29
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações de mortes por Covid-19 nos países, entre 17 a 24/9 e 2 a 9/10 (2 períodos de 7 dias), relativas a 19 dos 20 primeiros da classificação da OMS, em ordem decrescente dos percentuais.
4 países (21,1%) tiveram aumentos, variando de 7,4% a 130,8%.
15 países (78,9%) tiveram reduções, variando de 0,2% a 74,6%.

Class. / País / Mortes 17 a 24/9 / Mortes 2 a 9/10 / Var. %
1º Ucrânia 770 1777 +130,8
2º Polônia 78 175 +124,3
3º Rússia 5533 6330 +14,4
4º Turquia 1621 1741 +7,4
5º Alemanha 404 403 -0,2
6º México 3791 3632 -4,2
7º Reino Unido 998 908 -9,0
8º Estados Unidos 14348 12536 -12,6
9º Brasil 3718 3170 -14,7
10º Índia 2120 1802 -15,0
11º Itália 384 301 -21,6
12º Espanha 446 315 -29,4
13º Irã 2436 1707 -29,9
14º África do Sul 876 587 -33,0
15º França 373 227 -39,1
16º Filipinas 1387 739 -46,7
17º Indonésia 1195 586 -51,0
18º Argentina 671 219 -67,4
19º Colômbia 850 216 -74,6
Mundo 58645 52680 -10,2
Fonte: OMS/JHU, 9/10/21, 18h06m.

Entre 4 dos 19 países do quadro acima, que tiveram mais de 2.000 mortes entre 2 e 9/10, o Brasil está no 4º lugar, em ordem decrescente, com a média diária de 453 mortes.
Países/Média diária 2 a 9/10: 1° Estados Unidos 1791; 2º Rússia 904; 3º México 519; 4º Brasil 453.
Os demais 15 países têm média diária variando entre 25 (Polônia) e 257 (Índia).

Manchetes:
g1, 08/10/21, 15h16m:
- "Coronavirus - Brasil chega a 600 mil mortes e vê pandemia desacelerar com a vacina. Média móvel é de 438 óbitos por dia. No pior momento passava de 3 mil. Mas especialistas alertam: ainda não acabou".
- "Apesar da melhora, somos o país com mais mortes por Covid no ano: Brasil 405 mil, Estados Unidos 355 mil, Índia 300 mil, México 154 mil, Rússia 152 mil."

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
10/10/21, 11h34m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85891
De: Manoel Hygino Data: Sábado 9/10/2021 07:59:44
Cidade: Belo Horizonte

A sedução do mal

Manoel Hygino

Atento aos acontecimentos de sete anos atrás, um magistrado escreveu em 11 de junho de 2014. Refiro-me ao juiz de Direito de Montes Claros, Isaías Caldeira. A republicação é válida para que se compare aquele tempo e o atual.
Após jejuar por 40 dias no deserto, Jesus foi tentado pelo Diabo com a oferta das riquezas da terra, honra e glória, se lhe prestasse vassalagem e fidelidade. Como é de conhecimento dos Cristãos, o Messias renegou-lhe culto e submissão, mantendo-se fiel ao Pai, não obstante já soubesse o suplício que o aguardava como Deus encarnado, senhor do tempo e ciente de seu calvário de cruz. Ele sabia que a verdadeira riqueza estava no plano espiritual, e que os bens deste mundo tinham valor efêmero, submetidos todos eles às inflexões do tempo e espaço ,até a libertação das peias da existência material e do desejo que nos une ao que o acaso nos emprestou na vida, às coisas que conquistamos, que temos como nossas propriedades e que nos impulsionam cotidianamente: os bens materiais, nossos afetos, amores e certezas.
Quando Jesus recusa os bens materiais ofertados, sinaliza a supremacia da alma, perene elo com a eternidade, atributo Divino, em contraposição ao que é perecível, ao momento que nos consome fisicamente e cujo somatório ao final resulta no que fomos, do que de nós permanecerá na memória da posteridade, nessa intricada construção social que nos torna a todos necessários, alinhavando e dando colorido ao multiforme tapete da vida.
Nem só de pão viverá o homem, sentencia a mensagem salvídica, alertando para as coisas espirituais. Afinal, nem pão nem circo impediram as ruínas de impérios, como registra a história. Esquecidos disso, governantes teimam em repetir os mesmos métodos, tentados pelo aplauso fácil e manutenção do poder temporal, ignorando que o desejo humano tem o céu por limite, que aquele pouco recebido com alegria e agradecimento hoje, amanhã estará incorporado ao patrimônio do beneficiado como um direito seu e obrigação do Estado.
O que era para acudir a fome, já não serve mais, afinal quem recebe o almoço passa a querer também janta e sobremesa, e assim sucessivamente. Esgotados os recursos públicos e a capacidade de atender as novas demandas populares, caminha-se para a sedição, para as revoluções que destroem impérios, levando ao cadafalso ou prisão governantes pouco antes endeusados.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85890
De: Prefeitura Data: Sexta 8/10/2021 20:37:47
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

Município de Montes Claros – MG
Procuradoria-Geral
DECRETO Nº. 4298, 08 DE OUTUBRO DE 2021
DISPÕE SOBRE MEDIDAS DE ENFRENTAMENTO DA COVID-19 NO MUNICÍPIO DE MONTES
CLAROS, REVOGA DISPOSITIVO DO DECRETO MUNICIPAL 4002/2020 E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de suas atribuições legais, nos termos dos arts. 71,
inciso VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei Orgânica Municipal e do disposto no artigo 30, inciso
I, da Constituição da República, bem como nos termos da Lei Municipal 5.252/20 e da Lei
Federal 13.979, de 06 de fevereiro de 2020 e,
CONSIDERANDO, a criação do plano municipal “AVANÇA MOC, COM RESPONSABILIDADE”;
CONSIDERANDO, a melhora dos índices epidemiológicos da COVID-19 no Município;
CONSIDERANDO, que o Município de Montes Claros encontra-se em estágio avançado de
vacinação, possibilitando a flexibilização de algumas atividades;
DECRETA:
Art. 1º – A partir do dia 20 de outubro corrente, os serviços
educacionais, nas redes privada e pública, no Município de Montes Claros, poderão contar
com o comparecimento presencial de 100% (cem por cento) dos alunos, devendo, ainda, os
referidos estabelecimentos de ensino atenderem integralmente o protocolo estabelecido
pelo Decreto Municipal n.º 4169, de 08 de fevereiro de 2021.
Art. 2º – A partir da publicação do presente Decreto, a realização de cultos e demais eventos
religiosos poderá ocorrer com a participação de até 40% (quarenta por cento) dos lugares
existentes, de acordo com os critérios definidos pelo Corpo de Bombeiros do Estado de
Minas Gerais, limitado ao máximo de 250 (duzentas e cinquenta) pessoas, devendo, ainda,
ser respeitado o espaçamento mínimo de 1,5 (um metro e meio) entre os participantes;
Art. 3º – A partir da entrada em vigor do presente Decreto, o funcionamento das lojas de
conveniência, bares, restaurantes e similares, bem como das casas de festas e eventos
poderá ocorrer, diariamente, entre 05:00 e 24:00 horas, bem como contarem com até 06 (seis)
cadeiras em cada mesa reservada aos clientes.
Parágrafo Único. O funcionamento das lojas de conveniência, bares, restaurantes e similares,
bem como das casas de festas e evento deverá, ainda, respeitar as demais disposições do
art. 1º, do Decreto Municipal de n.º 4244, de 12 de julho de 2021.
Art. 4º – Fica revogado o art. 1º, do Decreto Municipal de n.º 4002, de 16 de março de 2020.
Art. 5º – A partir da publicação do presente Decreto, fica autorizada a presença de público
nos eventos esportivos de alto rendimento realizados no Município de Montes Claros, desde
que atendidas as seguintes regras:
I – limite de público de até 25% (vinte e cinco) por cento dos lugares existentes, de acordo
com os critérios definidos pelo Corpo de Bombeiros do Estado de Minas Gerais;
II – presença apenas de público vacinado contra a COVID-19, a ser comprovado mediante
apresentação do cartão de vacinação e documento de identidade com foto;
III – utilização, pelo público presente, de assentos alternados;
IV – atendimento de todas as disposições constantes do Decreto Municipal n.º 4046, de 20
de maio de 2020.
Art. 6º – O descumprimento das regras previstas no presente Decreto implicará na aplicação
das penalidades descritas no artigo 25, do Decreto Municipal n.º 4046/2020, além de
eventuais punições no âmbito penal, a cargo da autoridade competente.
Art. 7º – A implementação da presente norma não dispensa o cumprimento das regras
previstas no Decreto Municipal n.º 4046, de 20 de maio de 2020, bem como o cumprimento
das demais regras de prevenção e combate da COVID-19, em vigor no Município e não
alteradas pelo presente Decreto.
Art. 8º – Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições
em contrário.
Município de Montes Claros, 08 de outubro de 2021.
Humberto Guimarães Souto
Prefeito de Montes Claros
Otávio Batista Rocha Machado
Procurador-Geral
Dulce Pimenta Gonçalves
Secretária Municipal de Saúde

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85889
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 8/10/2021 11:47:22
Cidade: Montes Claros/MG

montesclaros.com: "500 cidades não registram mortes por coronavírus há um mês" - divulga governo mineiro. Quinta, 07/10/21 - 12h51

500 municípios, que correspondem a 58,6% do total de municípios de Minas Gerais (853), não registrarem mortes por coronavírus há um mês (entre 6/9/21 e 6/10/21) é importantíssimo e, à medida que a vacinação atingir o percentual ideal da população do Estado, recomendado pelos especialistas, nos demais municípios (353 ou 41,4%), com certeza o número de mortes pela Covid-19 estará muito próximo ou igual a zero em todo o Estado de Minas Gerais.
Mas alguns itens da análise/classificação dos índices de mortes por 100 mil habitantes dos 30 municípios do Estado, entre os de maiores populações, nos permitem destacar os percentuais de mortes e das populações dos mesmos.
Na mensagem 85779, de 10/8/21, por exemplo, verificamos:
- Percentual da soma das populações dos 30 municípios em relação à população do Estado: 43,52% (a).
- Percentual da soma das mortes dos 30 municípios em relação às mortes do Estado: 50,42% (b).
Esses percentuais, (a) e (b), vêm se mantendo desde o início dessa avaliação dos 30 municípios, desde 17/07/2020, mensagem 84903, ou muito próximos.
Portanto, 30 municípios (ou 3,5% do número de municípios do Estado) têm 43,52% da sua população e 50,42% das mortes por Covid-19 desde o início da pandemia, exatamente por serem mais populosos.
Exemplos:
5 maiores nºs. absolutos de mortes entre 27/9 e 4/10 / populações / mortes até 6/10/21
Belo Horizonte 53 / 2.512.070 / 6.746
Uberlândia 18 / 691.305 / 3.104
Ipatinga 13 / 263.410 / 916
Contagem 8 / 663.855 / 1.894
Uberaba 6 / 691.305 / 1.322
Betim 6 / 439.340 / 1.345

Entre os demais 353 municípios (41,4% do Estado) há muitos que são de menores populações e de mortes registradas desde o início da pandemia, o que diminui o risco de transmissão do coronavírus e variantes e permite maior eficácia do controle das contaminações.
Exemplo: Mirabela; população 13.651; 19 mortes por Covid até 2/8/21 e até 6/10/21.
Mas também esses 353 municípios têm somas de populações e possibilidades de mortes por Covid muito significativos e o empenho dos especialistas e profissionais de saúde e das populações é de muita importância para impedir mais contaminações e mortes por Covid.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
08/10/21, 11h22m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85888
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 7/10/2021 12:05:55
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia nos Estados brasileiros

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 16 a 23/9 e 30/9 a 07/10 (2 períodos de 7 dias), nos 26 Estados e Distrito Federal, do Brasil, revelaram que 16 Estados (61,5%) reduziram seus respectivos percentuais e 9 Estados e DF (38,5%) os aumentaram. Não foi incluído o Acre, devido à incoerência dos números de mortes no segundo período (de 1837 para 1835).
As 16 reduções variaram entre 3,2% (Mato Grosso do Sul) e 59,6% (Pará).
Os 10 aumentos variaram entre 6,4% (DF) e 266,7% (Rondônia).
- 5 maiores reduções: Pará (59,6%), Bahia (54,5%), Mato Grosso (52,8%), Rio Grande do Norte (44,4%) e Tocantins (35,7%).
- Minas Gerais aumentou 18,0% (passou de 317 para 374 mortes entre os 2 períodos).
- 5 maiores aumentos: Rondônia (266,7%), Ceará (140,0%), Piauí (55,5%), Amazonas (50,0%) e Sergipe/Amapá (33,3% cada).
- 5 maiores números absolutos de mortes entre 30/9 e 7/10: 1º São Paulo 780, 2º Rio de Janeiro 726, 3º Minas Gerais 374, 4º Paraná 327 e 5º Goiás 226.
- Variações percentuais de mortes nos 2 períodos: São Paulo -8,7%, Rio de Janeiro -22.1%, Minas Gerais +18,0%, Paraná -20,0% e Goiás -8,5%
- O Brasil reduziu 12,5% (passou de 3717 para 3251 mortes, do 1º para o 2º período; a média diária passou de 531 para 464). Porém, como temos comentado nas análises referentes aos 20 primeiros países da classificação da OMS, estamos entre os 6 primeiros países com mais de 2.000 mortes por semana, o que nos alerta para mantermos os cuidados contra o coronavírus e suas variantes, como recomendados pelos especialistas e amplamente divulgados (vacinar, usar máscara, lavar as mãos com frequência ou usar álcool em gel, higienizar objetos, ambientes e alimentos, evitar aglomerações).
Fonte: g1.com.br/coronavirus, 7/10/21, após 8h20m.

Número de mortes do desde o início da pandemia: Brasil 599.414 (g1) e 599.359 (OMS/JHU), 10h56m; Minas Gerais 54.840 (g1) e 54.873 (SES/MG); Montes Claros 970 (SMS/Moc) e 968 (SES/MG).

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
07/10/21, 11h42m - Nossa Senhora do Rosário

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85887
De: Sebastiana Data: Quinta 7/10/2021 10:07:02
Cidade: M. Claros

Abaixo, três títulos deste montesclaros.com, no intervalo dos últimos 3 dias, acima de publicações oficiais, expressas, transcritas, da Secretaria de Saúde do município. (...)




Quinta 07/10/21 - 7h41 - Vai e vem na vacina em M. Claros: "Art. 1º – Fica determinado à Secretaria Municipal de Saúde, a partir do dia 07 de outubro corrente, que inicie, com as doses disponíveis, a vacinação de todos os adolescentes com mais de 12 (doze) anos"



Quarta 06/10/21 - 12h14 - M. Claros volta atrás e, nesta nota, desconvoca os adolescentes, de 12 a 17 anos, chamados à vacina a partir de hoje



Terça 05/10/21 - 16h19 - M. Claros chama para a vacina adolescentes de 12 a 17 anos, a partir desta quarta-feira. Chama também as gestantes

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85886
De: Cíntia Aline Data: Quinta 7/10/2021 09:27:13
Cidade: montes claros / minas gerais  País: Brasil

Esperamos quê a secretária dr saúde cumpra o dia marcado dessa vez porquê a vida vale mais e os adolescentes também é prioridade e precisa de fato estudar , vamos guardar o dia

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85885
De: Prefeitura Data: Quarta 6/10/2021 20:24:57
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS – MG
Procuradoria-Geral
Decreto nº 4296, de 06 de outubro de 2021
ESTABELECE NOVOS CRITÉRIOS PARA VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19 NO MUNICÍPIO MONTES
CLAROS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de suas atribuições legais, nos termos dos arts. 71, inciso
VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei Orgânica Municipal e do disposto no artigo 30, inciso I, da Constituição
da República, bem como nos termos da Lei Municipal 5.252/2020 e da Lei Federal 13.979/2020 e,
CONSIDERANDO, a criação do plano municipal “AVANÇA MOC, COM RESPONSABILIDADE”;
CONSIDERANDO, que o Município tem seguido os critérios definidos no PLANO NACIONAL DE
OPERACIONALIZAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19;
CONSIDERANDO, que o §1º, do art. 14, da Lei Federal n.º 8.069/90, Estatuto da Criança e do
Adolescente, dispõe ser obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades
sanitárias;
CONSIDERANDO, a autonomia constitucional do Município para estabelecer regras complementares
sobre o sistema de vacinação e considerando as peculiaridades locais;
DECRETA:
Art. 1º – Fica determinado à Secretaria Municipal de Saúde, a partir do dia 07 de outubro corrente, que
inicie, com as doses disponíveis, a vacinação de todos os adolescentes com mais de 12 (doze) anos.
Art. 2º – Fica autorizada à Secretaria Municipal de Saúde, a partir do dia 07 de outubro corrente, com as
doses disponíveis, que promova, mediante sua disponibilidade, a vacinação dos adolescentes nas
respectivas escolas, sendo possível a suspensão de atividades escolares no momento das campanhas
para vacinação.
Art. 3º – A partir do dia 07 de outubro corrente, em havendo sobra ou disponibilidade de vacinas no dia,
estas poderão ser disponibilizadas para a aplicação da segunda dose, de forma antecipada, ou a dose
de reforço para as pessoas elegíveis.
Art. 4º – A Secretaria Municipal de Saúde poderá estender os horários de vacinação para o período
noturno, ficando, desde já, autorizado o pagamento das horas extraordinárias correspondentes.
Art. 5º – A implementação das regras do presente Decreto não poderá implicar em prejuízo para a
complementação do esquema vacinal dos grupos anteriores.
Art. 6º – Os casos não mencionados no presente Decreto seguirão os critérios definidos pelo Plano
Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a COVID-19, de acordo com a disponibilidade de
doses.
Art. 7º – Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em
contrário.
Município de Montes Claros, 06 de outubro de 2021.
HUMBERTO GUIMARÃES SOUTO
Prefeito de Montes Claros
Dulce Pimenta Gonçalves
Secretária Municipal de Saúde

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85884
De: Manoel Hygino Data: Quarta 6/10/2021 08:46:09
Cidade: Belo Horizonte

Eleições à vista

Manoel Hygino

Não sei, em termos de prognósticos eleitorais, o que significaram as manifestações contra Bolsonaro, realizadas nas capitais e maiores cidades do país. Em verdade, elas mediram ou medirão também a própria importância dos partidos e lideranças que as promoveram.
Na realidade, o Brasil atravessa um dos períodos mais difíceis de sua história, não se podendo atribuir a gravidade unicamente ao desastre que a pandemia nos causou, nos anos de 2020 e 2021. As nações latino-americanas sempre viveram fases assim – ou até piores, e não souberam extrair lições para o futuro. O Brasil passa por uma enfermidade maior e mais grave (se houver) do que simplesmente a produzida pelo coronavírus 2.
Estamos em outubro, evidentemente todos o sabem, e daqui a um ano, votaremos para a presidência da República e para outros altos cargos federais. É um tempo que passará rapidamente, se considerada a tensa expectativa que marcou estes dias do calendário fundante. Daqui para frente, haverá incontestavelmente o acaloramento da situação, acima das altas temperaturas deste antepenúltimo mês do ano.
Antonio Machado observou: “O cenário está bagunçado e deverá continuar assim até que se saiba o resultado das eleições gerais em 2 de outubro de 2022, ou dia 30, se houver segundo turno para a escolha do presidente. Até lá a torcida é para que políticos e tecnocratas não façam muita arte”.
O presidente Jair Messias já conseguiu uma façanha no pleito de 2018: elegeu-se, o que não conseguiram os capitães do Exército que o antecederam no sonho. De fato, Luis Carlos Prestes e Carlos Lamarca falharam. Em 17 de setembro de 1971, o segundo terminou o cerco das forças de segurança que o perseguiam, a ele – um ativista de Vanguarda Popular Revolucionária e do Movimento Revolucionário 8 de outubro. Instrutor de tiro, deixara o Exército em 1870, para se dedicar à luta armada contra a ditadura militar.
Em Pintada, interior da Bahia, ele fugia há três semanas e, segundo a versão oficial, não aceitou a ordem de rendição, teria resistido a bala, e morreu com o companheiro, José Campos Barreto. Foram metralhados.
O capitão, por promoção, será eleito mais uma vez? A pergunta reverbera, mas as pesquisas eleitorais até agora não lhe são favoráveis. As urnas darão a resposta, mas o essencial é que sejam favoráveis ao Brasil, não aos partidos políticos e candidatos.
O Brasil acima de tudo, como proclamam os simpatizantes do atual chefe da nação. Nisto estão certos.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85883
De: Prefeitura Data: Terça 5/10/2021 21:18:59
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

Município de Montes Claros – MG
Procuradoria-Geral
Decreto nº 4295, de 05 de outubro de 2021
ESTABELECE NOVOS CRITÉRIOS PARA
VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19 NO
MUNICÍPIO MONTES CLAROS E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de
suas atribuições legais, nos termos dos arts. 71,
inciso VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei Orgânica
Municipal e do disposto no artigo 30, inciso I, da
Constituição da República, bem como nos termos
da Lei Municipal 5.252/2020 e da Lei Federal
13.979/2020 e,
CONSIDERANDO, a criação do plano municipal
“AVANÇA MOC, COM RESPONSABILIDADE”;
CONSIDERANDO, que o Município tem seguido
os critérios definidos no PLANO NACIONAL DE
OPERACIONALIZAÇÃO DA VACINAÇÃO
CONTRA A COVID-19;
CONSIDERANDO, estudos que apontam a perda
de proteção de alguns imunizantes com o passar
do tempo e que uma dose extra pode ser
necessária para algumas pessoas em grupos
específicos;
CONSIDERANDO, a autonomia constitucional do
Município para estabelecer regras complementares
sobre o sistema de vacinação e considerando as
peculiaridades locais;
DECRETA:
Art. 1º – Fica determinado à Secretaria Municipal
de Saúde, a partir do dia 06 de outubro corrente,
que inicie, com as doses disponíveis, a aplicação
do reforço ao esquema vacinal da vacina contra
a Covid-19, aos profissionais que atuem na área
de saúde e afins, que estejam à frente no combate
à Covid-19, da rede pública própria, contratada e
privada, que tenham completado o esquema
vacinal há mais de 06 (seis) meses.
Art. 2º – Fica igualmente determinado à Secretaria
Municipal de Saúde, a partir do dia 06 de outubro
corrente, que amplie a vacinação da dose de
reforço prevista no art. 1º, inciso I, do Decreto
Municipal n.º 4.282/2021, aos idosos acima de 60
anos de idade, que tenham completado o esquema
vacinal há mais de 06 (seis) meses.
Art. 3º – A aplicação da dose de reforço ao
esquema vacinal prevista neste Decreto dar-seá, preferencialmente, através da Vacina
Tozinameran, dos Laboratórios Pfizer/BioNTech e,
supletivamente, através da Vacina Covishield,
da parceria Universidade de Oxford e AstraZeneca
e da Vacina Janssen, da Johnson & Johnson e
Janssen Vaccines.
Art. 4º – A implementação das regras do presente
Decreto não poderá implicar em prejuízo para a
complementação do esquema vacinal dos grupos
anteriores.
Art. 5º – Os casos não mencionados no presente
Decreto seguirão os critérios definidos pelo Plano
Nacional de Operacionalização da Vacinação
Contra a COVID-19, de acordo com a
disponibilidade de doses.
Art. 6º – Este decreto entra em vigor na data de
sua publicação, revogando as disposições em
contrário.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85882
De: José Ponciano Neto Data: Terça 5/10/2021 08:57:42
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

O DIVINO SOL NASCENTE

Existem muitas coisas misteriosas que não podem ser explicadas cientificamente, ou que é fácil explicar se existe ou não um mundo espiritual.

Ver o Sol nascer por exemplo é de um a beleza imensurável. Hoje 05-Out.-21 as 6:40 o Sol despontou no cume da Serra do Espinhaço – raios apunhalados por vários (bilhões) fragmentos da densa fumaça que tomou conta da paisagem.

Entretanto, no Oriente nascente o cenário idílico do Sol ensanguentado vagarosamente surgiram à silhueta da cordilheira e no sopé, a cidade que desperta.

Nesse “mundo espiritual” – mesmo assim - faz a gente ver coisas belas, é a ressurreição da nossa alma através da cerimônia divina.(foto)

Tá chegando nossa chuva!

V-X-XXI
(*) José Ponciano Neto é Historiador e Escritor Membro Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros _ IHGMC

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85881
De: Manoel Hygino Data: Terça 5/10/2021 08:36:27
Cidade: Belo Horizonte

Os sermões de Vieira

Manoel Hygino

Extenso artigo do desembargador Rogério Medeiros Garcia de Lima foi publicado e deve estar chegando aos assinantes da revista “MagisCultura”, da Associação dos Magistrados Mineiros”, edição correspondente a setembro de 2021. O título: “Padre Vieira, imperador da língua portuguesa”. É algo que merece atenção muito especial pelo tema, pelo nome de Vieira e pelo vasto conhecimento que do tema tem o magistrado.
A despeito do prestígio do imenso orador sacro, é bom assinalar, como o faz Medeiros, que, em 2020, a estátua de Vieira foi vandalizada em Lisboa. O magistrado de São João del-Rei observa, com propriedade: “Vivemos tempos estranhos, no Brasil e no mundo. O ódio se espraia – nos lares, escolas, universidades, trabalho, mídia e redes sociais. As pessoas verbalizam e agem sem racionalidade. Daí a importância de melhor conhecer o notável jesuíta, no contexto da época em que viveu”. E comparando-a à em que estamos, acrescento.
Vieira nasceu em Lisboa em 1608, e viveu 89 anos, período em que se destacou nos dois continentes, após ingressar na Companhia de Jesus em 1623, “uma das forças mais ativas da conquista e colonização do Brasil. Era uma época de intolerância religiosa e etnocentrismo”. Os sacerdotes lutavam contra a escravização dos indígenas, mas o plano jesuíta de catequização “não apenas resultou em tragédia, em razão dos graves surtos de doenças infecciosas, como facilitou a ação dos escravagistas”.
Não é possível aprofundar no tema, aconselhando-se ir direto ao artigo em exame. Nele, Vieira é estudado como político, professor, missionário, orador e ideologista, sempre se portando com grande independência e coragem. Segundo Mário Gonçalves Viana, ele “substituiria a palavra que é crepitação inútil de lantejoulas do engenho pela palavra que é fogo de alma irradiante”. E sofreu pressões e perseguições em decorrência.
Como registrou meu amigo Ivan Lins, da ABL, ele, repetida e temerariamente, investiu contra os abusos dos grandes, do tempo, como se vê, entre muitos outros, no “Sermão do bom ladrão, pregado em 1655, perante D. João IV e sua corte”. “Estavam presentes os maiores dignitários do reino, juízes, ministros e conselheiros da coroa, mas todo o tempo falou em ladrões e ladroagens, valendo-se do púlpito com único respiradouro da opinião pública, na falta da imprensa e da tribuna política”.
Inspirando-se em São Tomás de Aquino defende a tese de os príncipes serem obrigados a restituir o que tiram de seus súditos sem ser para a conservação do bem comum.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85880
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 4/10/2021 17:30:44
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais e mortes/milhão no Mundo

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19 entre 8 a 15/9 (7 dias) e 27/9 a 4/10 (7 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 18 municípios (60,0%) reduziram seus respectivos percentuais, 8 (26,7%) aumentaram e 4 (13,3%) não aumentaram, nem reduziram.
Para o município de Montes Claros foram considerados os números de óbitos publicados pela Secretaria Municipal, que passou de 967 para 968 no 2º período (27/9 a 4/10), devido à incoerência dos registros da Secretaria Estadual de Saúde nesta oportunidade (971 para 968). Quanto aos demais municípios, foram considerados os números da SES/MG, como sempre.

Minas Gerais reduziu 20,3%, de 438 para 349 mortes entre os 2 períodos.
As 18 reduções variaram entre 33,3% (Uberlândia e Sabará) e 100,0% (Teófilo Otoni, Poços de Caldas, Caratinga, Ibirité, Coronel Fabriciano e Janaúba; não houve mortes nesses municípios entre 27/9 e 4/10).

5 maiores reduções percentuais: nos 6 municípios em que não houve mortes entre 27/9 e 4/10, acima citados (100,0% de redução), Montes Claros (88,9%), Juiz de Fora (78,9%), Varginha (66,7%) e Uberaba (62,5%).

Os 8 aumentos percentuais variaram entre 12,8% (Belo Horizonte) e infinito (Santa Luzia, de 0 para 5, Vespasiano, de 0 para 3, Pirapora, de 0 para 2 e Januária, de 0 para 1).

5 maiores números absolutos de mortes entre 27/9 e 4/10: Belo Horizonte (53), Uberlândia (18), Ipatinga (13), Contagem (8) e Uberaba/Betim (6 cada).

4 municípios em que não houve variações do 1º para o 2º período: Contagem (8 mortes em cada período), Curvelo (1), Sete Lagoas (2) e Passos (0).

Montes Claros, que reduziu 88,9%, passou de 9 para 1 morte entre os 2 períodos.
Belo Horizonte, que aumentou 12,8%, passou de 47 para 53 mortes, do 1º para o 2º período.

Fonte: Boletim Epidemiológico SES/MG, 4/10/21, após 11h11m e SMS/Moc.

Dados do Brasil hoje, às 9h24m:
Total de mortes: 597.948; total de casos: 21.468.121. Fonte: OMS/JHU.

Dados de Minas Gerais hoje, após 11h11m:
Casos confirmados: 2.148.756; casos recuperados: 2.062.939; óbitos: 54.722. Fonte: SES/MG.

Classificação, em ordem decrescente, do número de mortes por milhão de habitantes, pela Covid-19, de 18 entre os 20 primeiros países da classificação da OMS em 02/10/21:
1º Brasil 2820,5; 2º Argentina 2549,5; 3º Colômbia 2482,9; 4º Itália 2166,2; 5º México 2156,0; 6º Estados Unidos 2112,9; 7º Reino Unido 2014,9; 8º Polônia 1999,9; 9º Espanha 1849,3; 10º França 1754,7; 11º África do Sul 1478,8; 12º Irã 1436,6; 13º Rússia 1406,7; 14º Ucrânia 1380,6; 15º Alemanha 1119,3; 16º Turquia 759,3; 17º Indonésia 519,2 e 18º Índia 325,0.

Manchete:
O Tempo, 03/10/21: "Controle - Nova Zelândia endurece regras de viagem após propagação da Covid-19. O país conseguiu conter o vírus, com apenas 27 mortes em sua população de cinco milhões de habitantes, graças aos rígidos controles de fronteira e aos confinamentos".
Quantas mortes teriam ocorrido em Minas e no Brasil, devidas à pandemia, na mesma proporção da Nova Zelândia:
Brasil: 1143. Minas Gerais: 115.

São Francisco de Assis, intercedei junto ao Pai Nosso para que cessem a violência no trânsito e entre os seres humanos, a destruição das florestas e do meio ambiente, que geram o desequilíbrio do regime de chuvas e tanta escassez de abastecimento de água e energia elétrica, com a intensificação da seca e da crise hídrica. Que sigamos vosso exemplo e sejamos intrumentos da paz do Senhor.

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
04/10/21, 17h16m - São Francisco de Assis

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85879
De: José Ponciano Neto Data: Domingo 3/10/2021 13:47:33
Cidade: Montes Claros- MG

TERRIVELMENTE PRODUTORES DE INSÔNIA

Comungo com a mensagem 85877.

É perceptível a falta de fiscalização com relação aos pandemônios ruídos que vem aumentando
gradativamente nos últimos meses.

A impressão que temos, que agora tudo é permitido durante a noite – motos com escapamento aberto – festas com sons ensurdecedores, tanto na cidade, quanto na Zona Rural – barzinhos que são mais uns inferninhos com som dos veículos bastante alto competindo com o som do estabelecimento. - É um “pancadão” só!

Durante o dia, a competição dos veículos de som e os Bike-sons,.

Barulho + umidade do ar baixa + calor senegalês + insônia e falta de fiscalização, que nome escolherá para Montes Claros?

Creio que o nosso prefeito face do seu perfil, não está sabendo disso!! Tomara que tome ciência.

A SITUAÇÃO ESTAR DEIXANDO O POVO MONTESCLARENSE “FONOFÓBICO”

(*) José Ponciano Neto é Historiador e Escritor Membro Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros _ IHGMC

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85878
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 2/10/2021 17:43:18
Cidade: Montes Claros/MG

"Montes Claros tem terceira tarde de 36 graus. Mas, chove forte, agora, a 150 km daqui, na altura da cidade de Augusto de Lima
Sábado 02/10/21 - 16h41
Montes Claros, pela terceira tarde seguida, segue com calor de 36 graus, com sol, e poucas nuvens.
A meteorologia mantém a previsão de 37 graus domingo e segunda, de máximas, com 38 na terça.
Contudo, há sinais de chuva nas proximidades.
Ainda há pouco, foi emitido sinal de atenção aos motoristas que viajam no trecho M. Claros/BH.
Chove forte no km 550, na Altura da cidade de Augusto de Lima."

"Ônibus que seguia de Itacaré para Porto Seguro, no litoral da Bahia, é atingido por carreta bi-trem e 12 pessoas morrem
Quinta 30/09/21 - 7h23"

Passei ontem pela BR-135 e observei uma cegonheira enorme, transportando 2 andares de veículos de menor porte e, infelizmente, seu motorista cometendo várias infrações como, por exemplo, ultrapassando outros veículos em trechos com faixas amarelas duplas, fazendo zigue-zague na pista, não trafegando por terceira pista (prejudicando a preferência dos veículos menores, que podem ultrapassar os mais pesados em determinados trechos).
Tais imprudências foram entre Bocaiuva e Curvelo, mas ao que tudo indica não havia nenhuma fiscalização que pudesse coibir as manobras perigosíssimas e irresponsáveis do motorista.
Não podemos esquecer que a maior extensão dessa BR é de pista simples, o que pode favorecer os choques frontais, que são os mais violentos, resultando em mortes e feridos graves, como o ocorrido próximo a Eunápolis/BA anteontem, cuja manchete deste Mural está acima reprisada.
Que o Senhor Deus proteja todos que estiverem viajando e que os motoristas tenham toda a cautela, levando em conta, inclusive, as chuvas fortes, como as que estão ocorrendo nesta tarde na região de Augusto de Lima.

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
17h40m, 02/10/2021



Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85877
De: Fátima Data: Domingo 3/10/2021 07:03:37
Cidade: M. Claros

Ainda estamos saindo dos momentos mais graves da pandemia, os reservatórios das usinas hidrelétricas estão no limite, forçando o não uso de ventiladores e aparelhos de ar condicionado dentro de casa, o calor está insuportável, com baixíssima umidade do ar, entre muitas coisas, e a cidade novamente vem sendo invadida - em toda parte, sem distinção - por novo espasmo de velha pandemia: barzinhos que se improvisam nas calçadas, nas ruas, com bandas tocando a toda altura, e também o som mecânico dos carros pancadões, durante o dia e agora novamente de noite.

Hoje, esses carros da delinquência amanheceram assanhados, neste domingo 3 de outubro, depois de passarem toda a noite impedindo o sono da cidade, em pontos distintos, e impunes, leves e soltos. Desenvoltos, criminosos.

Espalhavam barulho deliberado, pensado, proposital, por falta de quem cumpra as leis e as façam cumprir;

o que será de nós?

É preciso agir rápido antes que a calamidade do som alto se reinstale de novo, vitoriosa por toda a cidade - a cidade do barulho, novamente a cidade do barulho !

É problema sério de saúde pública.

Quem quer ir pelas ruas com o som máximo no carro, ou quer tocar música acima do limite permitido por muitas e variadas leis precisa ou viajar para longe de onde há morador, ou instalar revestimento acústico.

Ruas e bairros de Montes Claros - residenciais ou não - estão novamente se transformando em imensas áreas de som ao vivo, nas calçadas e nas ruas.

É só olhar ao redor e fazer a lista dos locais.

Esta madrugada novamente foi dolorosa em Montes Claros.

A Secretaria do Meio Ambiente hoje dispõe de recursos e de meios para evitar que a calamidade retorne, e precisa agir rápido.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85876
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 2/10/2021 16:11:40
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações de mortes por Covid-19 nos países, entre 10 a 17/9 (7 dias) e 24/9 a 2/10 (8 dias), relativa a 19 dos 20 primeiros da classificação da OMS, em ordem decrescente dos percentuais.
4 países (21,1%) tiveram aumentos, variando de 8,9% a 118,0%.
15 países (78,9%) tiveram reduções, variando de 7,8% a 60,4%.

Class. / País / *Mortes 10 a 17/9 / *Mortes 24/9 a 2/10 / Var. %
*Médias diárias
1º Ucrânia 77,1 168,1 +118,0
2º Polônia 8,0 17,2 +115,0
3º Alemanha 49,6 58,9 +18,7
4º Rússia 763,3 831,6 +8,9
5º Brasil 581,7 536,4 -7,8
6º Itália 57,3 52,7 -8,0
7º Estados Unidos 2.198,7 1.995,4 -9,2
8º Reino Unido 137,7 123,2 -10,5
9º Colômbia 43,1 38,0 -11,8
10º Índia 319,8 275,6 -13,8
11º México 599,7 479,9 -20,0
12º França 51,6 41,1 -20,3
13º Turquia 247,6 189,1 -23,6
14º Filipinas 183,6 136,0 -25,9
15º África do Sul 181,5 131,2 -27,7
16º Irã 448,1 269,4 -39,9
17º Espanha 74,4 34,7 -53,4
18º Indonésia 257,6 114,0 -55,7
19º Argentina 143,1 56,6 -60,4
Mundo 9.191,0 7.875,6 -14,3
Fonte: OMS/JHU

Entre 6 dos 19 países do quadro acima, que tiveram mais de 2.000 mortes entre 24/9 e 2/10, o Brasil está no 3º lugar, em ordem decrescente, com a média diária de mortes de 536.
Mesmo que o Brasil tenha registrado em setembro/2021 o menor número de mortes por Covid, desde novembro/2020, 536 mortes por dia sinalizam que a vigilância contra o coronavírus e variantes não pode ser negligenciada, quando a análise inclui comparação com outros 18 países do quadro acima e algum problema como o citado pela manchete abaixo, do G1/JH, de 01/10/21:
"Setembro registra o menor número de mortes por Covid desde novembro de 2020. O mês começa com balanço positivo sobre a pandemia. Mas a desaceleração na vacinação preocupa. O mês terminou com sete milhões de doses aplicadas a menos do que em agosto."
G1/JH, 02/10/21: "EUA atingem 700 mil mortes e pandemia da Covid já é a mais letal da história".

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
02/10/21, 16:00 hs - Santos Anjos da Guarda

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85875
De: Manoel Hygino Data: Sábado 2/10/2021 09:22:46
Cidade: Belo Horizonte

E a chuva?

Manoel Hygino

Diário de Belo Horizonte publicou em primeira página, dias atrás, uma foto a cores em que mostra a situação em que se encontra uma lagoa em Francisco Sá, depois de seis meses sem chuvas. Uma tristeza imensa, mesmo em região já historicamente sofrida com longas estiagens. A prefeitura informou que todos os rios e córregos do município estavam em nível zero, como a própria lagoa documentava. Seis mil pessoas de 70 comunidades rurais recebiam água transportada por cinco caminhões pipa do Exército, benefício ameaçado de suspensão.
Olinto da Silveira e a esposa Yvonne de Oliveira Silveira, escritores queridos e conceituados, casal sem filhos, deixaram uma publicação preciosa, como outros autores sobre a cidade, outrora Brejo das Almas. Aliás, o título do belo livro de Olinto e Yvonne, que sempre se lê com prazer é o segundo com o título, pois antes já Carlos Drummond de Andrade lançará um de poesia. O ora comentado resume fatos da história local, a partir da devastação do território mineiro lá por 1696-1710.
O primeiro nome foi Cruz das Almas das Catingas do Rio Verde. Em seguida, Brejo das Almas e, finalmente, Francisco Sá.
Atentemo-nos. O Brejo foi fundado em 1722, graças a Gonçalves Figueira e pertenceu a Montes Claros, passou a distrito, e em 1923, conseguiu autonomia, com “terras férteis, permitindo desenvolvimento rápido, dando oportunidade a todos que queiram trabalhar. Haroldo Lívio, advogado e escritor, uma das figuras raras em termos de bom caráter (que tanto ora falta), conta que o nome de Francisco Sá foi outorgado para substituir o antigo Brejo, porque a antiga sesmaria do Brejo de Santo André, berço do notável engenheiro e flamejante orador da República, ali nascera.
Francisco Sá apareceu em cena na vida brasileira, foi ministro da Viação e Obras Públicas, no governo do presidente Epitácio Pessoa e fez muito pelo país. Hoje, seu nome está numa rua de Copacabana, numa estação ferroviária, em via pública do bairro Gutierrez em Belo Horizonte, em uma avenida e em busto erguido em praça pública em Diamantina, em Janaúba numa rua no centro da cidade.
Quem chegar de trem a Montes Claros, minha cidade natal, deparará na praça fronteiriça à estação ferroviária com um belo e grande monumento em sua honra. Sem contar uma escola primária e uma avenida.
Na base da estátua junto à ferroviária, há agravada em granito a expressão com que o engenheiro foi saudado: “Este foi o nosso melhor amigo”. Em Francisco Sá, nasceu o mais jovem presidente da Assembleia Legislativa de Minas, em todos os tempos, Antônio Dias. São insuperáveis as belezas naturais da região e da cidade. Mas precisa chover.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85874
De: Estado de Minas Data: Sexta 1/10/2021 08:39:20
Cidade: Belo Horizonte

Padre é suspeito de importunação sexual contra jovem em Montes Claros

Arquidiocese diz que `está acompanhando o caso e aguarda que os fatos sejam esclarecidos`

Luiz Ribeiro - 30/09/2021 17:35

Um padre foi conduzido à delegacia de plantão da Polícia Civil, em Montes Claros, no Norte de Minas, após ser apontado por uma jovem, de 19 anos, como suspeito no crime de importunação sexual. Depois, o religioso foi liberado. O fato ocorreu nessa quarta-feira (29/9).

Além do registro de boletim de ocorrência pela Policia Militar (PM), a jovem procurou apoio junto à Defensoria Pública de Montes Claros, na qual apresentou a denúncia.

Nesta quinta-feira (30/9), a defensora pública Maíza Rodrigues informou que disse ter ouvido o relato da suposta vítima.

De acordo com a defensora, a jovem alegou que frequentava a paróquia, onde prestava serviços, mas que desistiu das atividades religiosas e comunicou isso ao padre, que teria solicitado que ela fosse até a casa paroquial.

Segundo Maíza Rodrigues, a moça contou que, após entrar na casa, o padre trancou a porta de saída e, na sequência, lhe abraçou e tentou beijá-la à força. A jovem contou que pediu ao padre que parasse, mas ela conseguiu se desvencilhar do padre, deixando o local, de acordo com a defensora pública.

A suposta vítima registrou um boletim de ocorrência junto à Polícia Militar. O padre teria negado o abuso, alegando que praticou apenas uma "manifestação de carinho". Ele foi levado para a delegacia de plantão, onde foi ouvido e liberado.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Civil em Montes Claros, que apenas confirmou que houve o registro de boletim de ocorrência do caso, envolvendo o religioso, sem divulgar mais informações.

Também procurada, na tarde desta quinta-feira, a Arquidiocese de Montes Claros informou que "está acompanhando o caso e aguarda que os fatos sejam esclarecidos".

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85873
De: Isaías Caldeira Data: Quinta 30/9/2021 21:33:52
Cidade: M. Claros

MEUS MORTOS

(por Isaías Caldeira Veloso)

“Carrego meus mortos do lado esquerdo do peito, por isso ando assim, meio de banda". Drumond não me conhecia, mas nos conhecia.

Enterrei meus pais, irmãos, uma tia que foi minha mãe também, outros tios, primos, amigos. Tudo gente que eu amava.

É um peso danado trazê-los comigo no peito.

Vezes há em que ameaçam implodir este edifício onde habitam sob forma de saudade. E a dor que causam é tanta que penso desalojá-los, rompendo o fio que nos separa. E, desfeita a chama da vida, buscar noutro coração o "habite-se" de alguém que tenha a mesma vocação amorosa e o mesmo vezo à doação.

Seria, como eles, saudade também.

Mas, a razão me diz que é inócuo antecipar a sentença a que todos fomos condenados, no plano material.

Numa hora incerta, provarei o sentido do nada, do não ser, liberto dos sentidos que me sustentam a existência.

Então, vou conversando com esses entes, nessa linguagem transcendente em que a voz é a do silêncio, com o qual os faço ver que continuam aqui, vivos, como testemunham os seus incontáveis gestos de bondade na memória de tantos.

Não. Meus mortos não me pesam, em verdade. Não pesa quem amamos! “Mas como dói“!

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85872
De: Prefeitura Data: Quinta 30/9/2021 20:49:10
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

Município de Montes
Claros – MG
Procuradoria-Geral
Decreto nº 4293, de 30 de setembro de 2021
DISPÕE SOBRE O FUNCIONAMENTO DE
FEIRAS NO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS
E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de
suas atribuições legais, nos termos dos arts. 71,
inciso VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei Orgânica
Municipal e do disposto no artigo 30, inciso I, da
Constituição da República, bem como nos termos
da Lei Municipal 5.252/2020 e da Lei Federal
13.979/2020 e,
CONSIDERANDO, que o funcionamento de feiras
somente poderá ocorrer com absoluta a segurança
sanitária, visando prevenir o contágio pelo agente
Novo Coronavírus – SARS-CoV-2;
DECRETA:
Art. 1º – A partir da publicação do presente Decreto
e até o dia 15 de outubro de 2021, para o
funcionamento de Feiras no Município de Montes
Claros, serão aplicadas as seguintes regras:
I – distanciamento mínimo de 03 (três) metros
entre as barracas;
II – utilização de barracas individuais;
III – comercialização apenas de produtos
hortifrutigranjeiros;
IV – respeito às normas sanitárias descritas no
Decreto Municipal n.º 4046, de 20 de maio de
2020;
V – não impedimento do fluxo de pessoas e
veículos;
VI – proibição de consumo no local.
Art. 2º – Este Decreto entra em vigor na data de
sua publicação, revogando as disposições em
contrário.
Município de Montes Claros, 30 de setembro de
2021.
Humberto Guimarães Souto
Prefeito de Montes Claros
Otávio Batista Rocha

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85871
De: José Ponciano Neto Data: Quinta 30/9/2021 17:56:26
Cidade: Montes Claros- MG

Chuva de São Miguel com menos de 24 horas de atraso.

Exatamente as 17:15 Montes Claros (lado Oeste) o céu deságua – são os primeiros pingos da chuva de São Miguel Arcanjo.

O vento traz o Petricor para perfumar a cidade e o campo anunciando o inicio das chuvas.

É só um ensaio, mas, em poucos dias teremos o céu desaguando sobre nós.

30-IX-2021
(*) José Ponciano Neto é ecologista provido das crenças hereditárias.


***


N. da Redação: Há registro de chuva, nesta tarde, em Santana do Mundo Novo, Boa Vista do Pacui, Juramento, fazenda Caraibinha em Mirabela e nos bairros Independência e Jaraguá.

O registro foi feito pelos ouvintes da Rádio 98FM Montes Claros. Os serviços meteorológicos informaram, durante toda a tarde, que a chance de chuva era zero.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85870
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 30/9/2021 13:35:53
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia nos Estados brasileiros

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 9 a 16/9 e 23 a 30/9 (2 períodos de 7 dias), nos 26 Estados e Distrito Federal, do Brasil, revelaram que 18 Estados (66,7%) reduziram seus respectivos percentuais e 9 Estados (33,3%) os aumentaram.
As 18 reduções variaram entre 5,7% (Rio Grande do Sul) e 66,7% (Amapá).
Os 9 aumentos variaram entre 5,5% (Piauí) e 100,0% (Acre).
- 5 maiores reduções: Amapá 66,7%, Rio Grande do Norte 52,6%, Roraima 45,8%, Maranhão e Amazonas 45,5% e Rondônia 44,4%.
- Minas Gerais reduziu 30,6% (passou de 438 para 304 mortes, do 1º para o 2º período; média diária passou de 62 para 43 mortes).
- 5 maiores aumentos: Acre 100,0%, Tocantins 77,8%, Distrito Federal 65,8%, Sergipe 50,0% e Espirito Santo 20,6%.
- 5 maiores números absolutos de mortes entre 23 e 30/9 / classificação no índice mortes por 100 mil habitantes em 23/9/21 / Variações percentuais de mortes nos 2 períodos
1º São Paulo 1.126 10º +9,2%
2º Rio de Janeiro 788 2º -16,3%
3º Paraná 417 6º +15,8%
4º Minas Gerais 304 16º -30,6%
5º Goiás 195 7º -36.1%
- O Brasil reduziu 9,0% (passou de 4.182 para 3.806 mortes, do 1º para o 2º período; média diária passou de 597 para 544 mortes).
Fonte: g1.com.br/coronavirus, 30/9/21, após 7h43m.

Manchete:
G1/JH, 28/9/21: "Brasil registra menor número de mortes por Covid em 24 horas, em mais de 10 meses; média móvel continua acima de 500 por dia."

Continuam indispensáveis: vacinação, higienizar sempre as mãos (com água e sabão ou álcool em gel), ambientes, objetos e alimentos, distância mínima de 1,5 metros de outras pessoas e evitar aglomerações.

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
30/09/21, 13h20m - São Jerônimo

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85869
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 29/9/2021 11:41:14
Cidade: Montes Claros/MG

Fontes de água para reservatórios de hidroelétricas

montesclaros.com, mensagem nº 85867, 28/9/21: "Nós de Montes Claros, temos a salvação vinda do Rio Pacuí – Juramento – Rebentão e os 11% da Lapa Grande. A expectativa mais gloriosa é a água do “Velho Chico” que está chegando. - Salve! Vem para garantir a segurança da água em nossa cidade - por muitos e muitos anos."

Os reservatórios das usinas hidroelétricas, como é de amplo conhecimento, estão praticamente no nível mais baixo, devido à mais intensa crise hídrica dos últimos 91 anos, o que ameaça o desempenho operativo do Sistema (Elétrico) Interligado Nacional, a qualidade do fornecimento e aumenta o custo da energia elétrica no Brasil com as bandeiras tarifárias.
A transposição das águas do Rio São Francisco para Montes Claros sugere pensar em suprir os reservatórios de grandes usinas hidroelétricas brasileiras com águas de outros rios e/ou até mesmo dos Oceanos Atlântico e Pacífico, dependendo do Estado onde estão em operação, por incrível que pareça.
Pode parecer absurdo mas Israel, embora seja um país de apenas 9 milhões de habitantes, mas modelo de desenvolvimento para outros países, trata a água salgada do Mar Mediterrâneo, em Haifa, terceira maior cidade daquele país, polo industrial e tecnológico, de 264.900 habitantes, sendo 1.039.000 na área metropolitana, para abastecimento dessas populações.
Há mais de 2.000 anos Roma já era abastecida por aquedutos com até mais de 100 km de extensão.
A questão é de Engenharia, de se estabelecer prioridades e metas no orçamento público, visando a segurança da água para abastecimento humano e geração de energia elétrica pelas turbinas das usinas hidroelétricas.
Caso contrário, teremos sempre os riscos das grandes interrupções de fornecimento de energia elétrica ("apagões") e dos racionamentos ou até faltas de água para consumo das populações, bem como para combate aos incêndios nas matas e florestas, que tantos prejuízos causam à saúde humana, à sobrevivência da fauna e flora e ao meio ambiente.
Que São Francisco de Assis abençoe e inspire aos especialistas neste assunto para que desenvolvam esta ideia aqui sugerida, o que deverá trazer enorme benefício, ao longo de várias gerações, para a solução do problema tão grave e repetitivo da escassez hídrica nos reservatórios das usinas hidroelétricas, fundamentais para a operação do Sistema Interligado Nacional, com 65% de participação na matriz elétrica do Brasil.

Manchetes:
G1/JN, 11/8/21: "Estiagem faz despencar uso das hidroelétricas para o menor nível já registrado no Brasil. Especialistas do setor dizem que a crise pode se agravar nos próximos meses".
G1/JH, 27/8/21: "Reservatório da Hidroelétrica de Furnas tem o pior volume útil para um mês de agosto desde a época do `apagão`, há 20 anos". "Transporte de carga na Hidrovia Tietê-Paraná é paralisado no interior de São Paulo".

Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista
29/9/21, 10h53m - Santos Miguel, Gabriel e Rafael (Arcanjos)

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85868
De: Manoel Hygino Data: Quarta 29/9/2021 08:23:25
Cidade: Belo Horizonte

Há o que ler

Manoel Hygino

Posiciono-me como Abgar Renault, há quase dez anos, ao escrever sobre um livro. Falece-me a inclinação para uso dos instrumentos essenciais da crítica. Minha manifestação é a opinião de um leitor comum, mas sensível e apto a exprimir-se, no mínimo, com clareza.
É para comentar “O livro de Carlinhos Balzac”, uma novela de Pedro Rogério Moreira, confrade na Academia Mineira de Letras e autor de bons livros, desta vez em edição da Topbooks.
Para começar, explico que ele não foi objeto de lançamento, por causa da pandemia, nem será, mas já está nas livrarias e à venda na internet nos sites respectivos. Vantagem deste nosso tempo, que não existia na época do pai do escritor, Vivaldi Moreira, um dos nossos melhores autores.
O leitor ou o resenhista se sentirá em apuros algumas vezes, na identificação dos personagens que são muitos nesta novela, e nos episódios em que se envolvem, que não são poucos. Mas, o principal é que ficará atraído por ambos, pois o resultado conseguido pelo autor no seu relato é realmente digno. Recorda o Rio de Janeiro, sempre atraente em um dos períodos mais exuberantes do século passado, embora coincidente com o regime militar.
Parte do enredo se passa exatamente a partir de 1964, quando do milagre econômico, durante o qual se aventuraram os personagens, com seus negócios em altitude e despertando interesses em quem queria ganhar a vida e vive-la. Mas Carlinhos Balzac, o protagonista, tem muito a revelar nestas páginas e que ultrapassam a experiência carioca, nos negócios e na vida social, sentimental, incluindo a sexual.
Sob todos os aspectos, um livro que se lê com agrado e proveito, porque muito se ainda aprende sobre o cotidiano carioca de então, a paisagem da cidade que não envelhece, embora a capa da publicação seria da histórica rua da Quitanda, que Bruno Dantas fez em instante inspirado.
Os personagens, ou dramatis personae, são indeléveis. Como o Francisco José, que percorre do princípio ao fim, numa sucessão de eventos de que participa e que bem definem o seu caráter.
Mas, há muito mais: os editores famosos de livros do Rio, os jornalistas consagrados ou focas, sempre vislumbrando o horizonte. Em determinadas páginas, cenas do Rio antigo e algum fato envolvendo Pedro I, sem esquecer a triste visita de Pedro II ao escritor Camilo Castelo Branco, após a República no Brasil. O soberano destronado deslocou-se à rua de São Lázaro, no Porto, para homenagear o autor admirado. Os dois de abraçaram em lágrimas. Camilo já viúvo, quase cego, diabético. No ano seguinte, Pedro morreu de tristeza no exílio.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°85867
De: José Ponciano Neto Data: Terça 28/9/2021 16:02:12
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

RIO CONGONHAS: TRISTE CONSTATAÇÃO

O Rio Congonhas no município de Itacambira-MG – manancial que no pretérito o cogitava para promover o abastecimento de Montes Claros e incrementar a vazão do Rio Verde Grande que beneficiaria os Produtores Rurais. Entretanto, essa ilusória barragem não saiu do papel.

O Projeto foi afetado pelo “Alzheimer político”.

O tempo passou. Hoje o regime hidráulico do rio não é mais o mesmo – a degradação surgiu - a monocultura do eucalipto acabou com a área de recarga e consequentemente secaram as principais nascentes. >Tudo ações e omissões no âmbito das áreas jurídicas e físicas, sem dúvida importem inobservância aos preceitos das leis e seus regulamentos - sem serem incomodados.

Suficientemente, temos conhecimento que as secas são fenômenos ambientais, aos quais se atrelam a outros fenômenos sócio–históricos de ordem ideológicas e operacionais, nos quais têm ativado e produzido os “decanos” déficits hídricos que vivemos - desencadeiam uma série de dificuldades derivadas da escassez do líquido que finalmente cria conflitos e desastres sociais.

A Seca e Escassez de água no Norte de Minas são classificadas em três “ditas-cujas”: - Hidrológica (meses sem chuva), agrícola e hidrológica. Essa última “cuja” não vejo perspectivas futuras devido à falta de gestão com os recursos hídricos.

São tantos os Órgãos de Fiscalização e Regulação – desde municipais aos federais. – é Agencia “disso e daquilo”, e na verdade gestão (...). A cada ano que passa a disponibilidade de água “per capita” vem diminuindo e se esta tendência continuar o Norte de Minas irá sofrer conflitos diários pela água.

Voltando ao Rio Congonhas neste ultimo final de Semana (26-09-21) os banhistas que lá estiveram para “turismar” construíram pequenos barramentos com pedras e capim para usufruir da água daquele manancial. A Impressão era que o rio tinha muita água, como apresentava o visual (ilusão de ótica). Mas na realidade a vazão era desprezível e a profundidade dos poços artificiais mal dava para molhar as canelas.

No ponto onde seria construída a Barragem já não conta com água - os pontos de lazer ainda existentes, somente os mais próximos da cabeceira. - Pouca água!

No platô de recarga hídrica da Serra do Espinhaço a predominância do eucalipto é evidente e, todas as nascentes do Rio Juramento – Rio Canoas e Rio Saracura são prejudicadas pelos “barramentos homicidas” construídos pela a empresa carvoeira – ações que vêm desafiando os Órgãos Ambientais Licenciadores e Fiscalizadores.

Concluindo: Nós de Montes Claros, temos a salvação vinda do Rio Pacuí – Juramento – Rebentão e os 11% da Lapa grande. A expectativa mais gloriosa é a água do “Velho Chico” que está chegando. - Salve! Vêm para garantir à segurança da água em nossa cidade - por muito e muitos anos.

Só não sinto bem, quando me lembro das audiências públicas, onde pessoas alheias aos projetos ao lado dos “pseudoambientalistas” pronunciavam aos berros que eram contra o Projeto de captação no Rio São Francisco. - Mas, isso é para outro artigo.

28/IX/2021 – véspera de São Miguel
(*) José Ponciano Neto é Técnico em Recursos Hídrico – Membro da Comissão de Geografia e Ecologia do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros - IHGMC e Diretor Financeiro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas – AMALENM.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Página Anterior >>>

Abra aqui as mensagens anteriores: